Voltar

Como evitar o fracasso

Imagem: Achieved Strategies

Imagem: Achieved Strategies

Conseguir uma promoção, fazer um curso de pós-graduação, dobrar os rendimentos, envolver-se em um projeto importante… Há diversas metas que além de impulsionarem a carreira, aumentam a qualidade de vida e a satisfação com a vida profissional. Na teoria parece simples, mas na hora de tirar esses planos do papel, é comum se deparar com obstáculos e acabar se frustrando ao perceber que nem tudo é tão fácil quanto parece.

Assim, conforme alguém avança novas casas no jogo da vida, alguns objetivos vão ficando pelo caminho, deixados para trás mais pela necessidade de seguir em frente que pela vontade de continuar no caminho que se está. O tempo vai passando e as promessas ficam esquecidas, anotadas em algum rascunho jogado no fundo de uma gaveta. O que faz isso acontecer?

Confira a seguir o que pode atrapalhar na hora de correr atrás das metas e tome cuidado para não tropeçar nessas armadilhas. Para realizar seus sonhos, é preciso manter o trem nos trilhos, mesmo que haja um trecho enferrujado aqui ou ali.

Emprego e carreira não são a mesma coisa. Se você considera sua carreira um amontoado de empregos, provavelmente não vai cumprir suas metas. Um plano de carreira funciona como um passo a passo entre o lugar onde você está agora e aonde quer chegar. É o mapa que indica o caminho. Com esse plano, é mais fácil ter motivação para realizar novos cursos, conquistar novos diplomas e participar de novos projetos que você saiba que são importante para atingir o sucesso que você se propôs. Se você não tiver uma visão ampliada e voltada para o futuro com relação ao que espera de sua vida, os objetivos parecerão rasos e não farão tanto sentido assim – mas farão toda a diferença a longo prazo.

Objetivos em excesso, complicados ou abstratos. Ter metas faz bem e dá uma direção para seguir na carreira, mas se sobrecarregar com elas é dar um tiro que sairá pela culatra. Você pode ter vontade de liderar uma equipe, fazer um curso de MBA, aprender um novo idioma, quadruplicar seus rendimentos e até ter disposição para fazer tudo ao mesmo tempo, mas manter o equilíbrio entre tantos percursos vai demandar tempo e esforço e isso pode levar à exaustão e, consequentemente, à queda do rendimento. Que tal fazer uma coisa de cada vez para não se atropelar? Aquele ditado que diz que “devagar se vai ao longe” não existe à toa. Além disso, busque ter planos simples, concretos e alcançáveis. Ter como objetivo alcançar a qualidade de vida não é exatamente algo que se possa medir, certo? Em vez disso, que tal colocar nas metas conquistar fatores que você acredita que vão contribuir para a sua qualidade de vida? Objetivos mais palpáveis, como ter mais flexibilidade no horário de trabalho.

Não saber como tirar os planos do papel. Você pode aspirar ser promovido de seu cargo atual e conquistar um lugar em uma posição de gerenciamento, por exemplo. Mas e agora? Como você vai conseguir isso? Não adianta nada traçar um objetivo se você não souber como conquistá-lo. Estude, pesquise, converse com alguém que já tenha passado pela mesma situação e avalie todos os fatores envolvidos para saber o que é necessário fazer para chegar aonde deseja. Adapte as aventuras de alguém mais experiente ao seu mundo e crie seu passo a passo.

Depender dos outros. Tenha a certeza de que seus objetivos – ou pelo menos a grande maioria deles – dependem exclusivamente de você, do seu trabalho, competência e esforço. Caso haja uma meta que tenha outros envolvidos além de você, cuide para que todos estejam motivados e comprometidos com a causa, pois se uma pessoa largar o trabalho de mão, você sofrerá o impacto. Gerencie as expectativas, assuma o controle da situação. Não adianta sonhar e esperar que alguém transforme em realidade. É preciso fazer acontecer.

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print