Voltar

RH Estratégico?

Há anos escuto a mesma conversa: “RH tem que se tornar estratégico”. Na semana passada fui convidada a participar de um processo seletivo e adivinhem qual foi o briefing da vaga? Isso mesmo! “Meu cliente está em um processo de mudança e deseja criar um RH estratégico”… Ai meu Deus!

Sinceramente não sei o que isso significa, por um acaso você já ouviu alguém falar que busca uma área estratégica de finanças ou, ainda, de marketing?  Estratégia e qualquer outra área de negócio são quase sinônimos, mas quando nos referimos à área de Recursos Humanos, é como se estivéssemos falando de um sonho, algo muito distante e quase impossível de se alcançar.

Não sei o que começou primeiro, é que nem a propaganda do biscoito Tostines, o RH não entrega sua contribuição para o negócio ou os Presidentes e Diretores não sabem o que exatamente demandar dessa área. Só sei que um seguido do outro, contribuiu para criar essa percepção de que o RH não é estratégico.

Presidentes e Diretores vêm cada vez mais compreendendo que gestão de pessoas não é responsabilidade de RH, parece meio básico, mas não é. Um headhunter amigo meu, me disse duas semanas atrás que há uma verdadeira dança das cadeiras nas posições de RH, clientes buscando as pessoas “certas” para a posição “certa”, a posição da vez! Há oportunidades de sobra, uma vez que os temas de RH estão presentes na agenda dos executivos como prioridade máxima.

Tive oportunidade de participar de uma apresentação da Betânia Tanure em que ela compartilhou os resultados de uma pesquisa que realizou com CEO´s. Aqueles que relataram um alto índice de satisfação com a atuação do seu RH, tinham nas posições de Direção de RH, executivos com autonomia e independência profissional, normalmente tinham uma segunda carreira.

Talvez a mensagem esteja escondida atrás da expressão “RH Estratégico”, talvez o que Presidentes e Diretores valorizem mesmo são aqueles profissionais capazes de se posicionar, de trazer ricos argumentos para fazer ou não fazer algo. Talvez a chave esteja aí, um olhar no futuro, maior entendimento da operação, mais empatia e mais autonomia para se posicionar. Será que isso é o que se quer dizer com “estratégico”?

Só torço para que chegue logo o dia em que eu não escute mais que um dos principais desafios da área de RH é se tornar estratégico…

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print

4 Comentários

Claudia
Muito boa materia sobre este assunto muito polemico
Numa empresa que trabalhei no passado vivenciei o esforco que a responsavel por RH na epoca fez para tornar o RH estrategico, sem sucesso
Minha opiniao eh que o sucesso desta iniciativa esta apoiado em 3 pilares

1. Quanto o segmento que a empresa atua necessita depende da valorizacao do capital intelectual, uma empresa de call center eh bem diferente de uma industria de processos ou uma companhia aerea;

2. Qual o entendimento que o board da empresa tem com relacao ao valor do capital humano;

3. Qual o entendimento e qual a habilidade do head do RH tem para promover esta mudanca;

Acredito que se algum destes 3 pilares nao estiver de pe a casa nao se sustenta.

Este desafio eh similar em todas as areas que sao consideradas “areas de suporte”.

Esta eh a minha visao, profissional que munca atuou em RH, favor descontar este detalhe

Abraco

Marcelo Ramires

Ola Marcelo,
Seus comentários ilustram muito bem a dificuldade que ainda existe em falar e agir nesse tema.
Mas Nao tenho duvidas que temos colhido muitos avanços e cada vez mais presidentes e diretores vêm, pessoalmente, se responsabilizando pela gestão de pessoas. Isso, sem duvida nenhuma, vem contribuindo imensamente para o crescimento e geraçao de resultados da área.
Obrigada!
Abco, CK.

Claudia, passei 2 anos de mestrado em Londres ouvindo a mesma conversa…RH precisa ser estratégico. Tive até módulos que ganhavam esse sobrenome – estratégico. Penso que qualquer área é estratégica e no caso de RH isso não é um adjetivo, mas essência da missão da área. O que vejo é que alguns modelos de gestão organizacional não privilegiam o desenvolvimento de pessoas como estratégia competitiva – a tal discussão dos modelos de strategic fitness ou high performance / commitment, resource based…Otimo post! Bjos

Beto, Acho sim que a área de RH pode cada vez mais trabalhar para estar alinhada com o negocio, so Nao acho legal esse rótulo, estratégico todas as áreas o são, certo?
Obrigada!
CK