Voltar

Ser ou não ser você mesmo na empresa?

Ser ou não ser você mesmo na empresa

Imagem: Don’t Suck At Work

Eis a questão… Se a célebre citação de Hamlet na obra homônima de William Shakespeare pode se aplicar a tantas situações nas mais diversas áreas da vida, com o ambiente de trabalho não seria diferente. Há uma infinidade de livros e programas de auto ajuda que ressaltam a importância de ser você mesmo, mas será que isso é realmente bom quando se trata do âmbito profissional?

A “festa da firma” está chegando e todo mundo já está cansado de saber que pode se divertir, afinal, é um momento mais leve e descontraído. Se não encher a cara nem falar o que não deve, não há muito com o que se preocupar. Mas e no dia a dia?

Uma pesquisa feita pela Universidade de Houston, nos Estados Unidos, e de Greenwich, na Inglaterra, constatou que as pessoas, em sua grande maioria, não mostram aos colegas quem realmente são. Pelo que a pesquisa mostrou, essa história de ser você mesmo não funciona tão bem no mundo corporativo, pois acaba por gerar estresse, preocupação e nervosismo – ao contrário da vida pessoal, onde quanto mais você se mostra e é aceito, melhor se sente.

O que torna isso tão complicado no mercado de trabalho? Será o medo de não ser aceito por você mesmo e acabar com a carreira prejudicada graças à própria personalidade? Será o modelo arcaico que muitas empresas ainda adotam, exigindo rigidez de seus funcionários?

E no seu trabalho? Você é você ou criou um personagem que interpreta em horário comercial?

Vale a pena refletir.

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print