Voltar

Com a corda no pescoço

Começar o ano demitido não rola muito menos ficar com aquela sensação incomoda de estar com a corda no pescoço. Não é fácil para nenhum funcionário ter essa horrível sensação, como não é rentável para a corporação. Existem combinações de comportamento que podem ser fatais para se “enforcar” e cravar sua saída da organização. Além dos óbvios motivos de demissão como não entregar os resultados no tempo hábil e vacilar quando a questão é relacionamento existem outros que pode definir o afastamento das funções da organização.

Imagem: Revista PEGN

Imagem: Revista PEGN

Existe uma zona de conforto que é bom para o rendimento de alguns profissionais. Contudo, para algumas empresas isso pode não ser tão bom assim, principalmente quando a empresa não atravessa por um bom momento. É nesta hora que será preciso de um profissional inovador e ágil que reaja bem e de forma satisfatória para solucionar os problemas. A palavra de ordem neste quesito é PROATIVIDADE.  Além de manter-se no emprego, aumentará, e muito, as chances de crescimento na carreira. Agora fica claro entender a necessidade de sair da zona de conforto por mais que ela lhe segurança de realizar um bom trabalho. Este é o momento de apresentar coisas novas.

Os problemas da empresa não podem passar percebidos de forma alguma. É preciso profundidade nas tomadas de decisão. Aquele que não demonstra maneiras eficazes de contornas situações e entregar resultados estará distante da organização. Só os resultados apenas não são essenciais e sim, o processo.

O empregador gosta de perceber envolvimento. As olhadas no relógio para ir embora, a contagem regressiva para a sexta feira, a depressão de domingo à noite, podem demonstrar que tudo que está fazendo profissionalmente, neste momento de sua carreira, não faz sentido algum. Sem propósito não existe foco.

Você sabe tudo o que está acontecendo a sua volta em sua empresa? Se resposta for negativa é o momento exato para mudar sua postura. Estar alheio ao que acontece à sua volta não é bom sinal. Uma visão ampla do negócio é fundamental para que surjam sempre soluções coesas e que causem bons impactos em todo o processo. Não deixe atrofiar suas chances de crescimento por ter uma visão distorcida das coisas e acabar entrando em uma situação como cego em tiroteio.

Imagem: Época Negócios

Imagem: Época Negócios

Além de precisar ser ágil na tomada de decisão é indispensável à flexibilidade do profissional. Esse é um quesito importante para permanecer na empresa. A disposição para responder as mudanças com facilidade de se adaptar a novos processos é requisito básico para qualquer setor ou cargo.

O caminho já foi mostrado e agora basta decidir qual a sua posição diante da corporação, pois em determinados momentos, é nestas horas, que se percebe que o caminho não é este e que está realmente desmotivado. É o momento de colocar a carreira em cheque. Porém, se esta certa que isso que lhe traz felicidades e realização, procure não viver com a corda no pescoço e sim com a possibilidades de crescimento na carreira.

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print