Voltar

Falta Inteligência? Elegância? Ou o quê?

O tema de hoje é inspirado em um telefonema que recebi de um leitor do blog, sua mensagem e sua voz traziam muita indignação com a forma deselegante e desrespeitosa que, segundo ele, vem sendo tratado nos diferentes processos seletivos que tem participado.

Essa mesma reclamação tem sido assunto recorrente nos grupos das redes sociais que o Salada Corporativa acompanha. É incrível a quantidade de profissionais que relata ter vivenciado sentimento similar por causa da forma como os responsáveis pelo recrutamento têm tratado os candidatos, inclui-se aí headhunters e os representantes das empresas.

Lógico que existem exceções, pessoas e empresas que respeitam os candidatos e entendem que atração e retenção começam muito antes de um deles virar funcionário. Parabéns a essas empresas que existem sim e, também, são mencionadas por alguns dos nossos leitores.

Mas o foco aqui são as pessoas e empresas que, descaradamente:

  • Mentem sobre a existência de uma vaga
  • Cobram algum tipo de taxa do candidato
  • Fazem o primeiro contato e nunca mais dão retorno
  • Não dão retorno aos que não foram selecionados em uma etapa no meio do processo
  • Não atendem o telefone quando o candidato liga
  • Ficam tão empolgadas com o perfil do candidato que chegam a dizer que é certo que a vaga é dele, mas depois o candidato não é aprovado e não recebe nenhum retorno.
  • Marcam data para o processo admissional e ligam desmarcando porque alegam ter ocorrido um erro no processo
  • Informam que o candidato foi aprovado, o mesmo pede demissão e depois? A vaga desaparece…
  • Enviam e-mail ao candidato dizendo que não têm tempo para conhecer pessoas (acreditam nisso?)
  • Avisam só conversar com pessoas que tenham sido indicadas por alguém da sua rede de contatos
  • Mudam o valor do salário depois que o candidato aceitou a proposta
  • Encerram a entrevista com menos de 15 minutos após seu início

Pois é, essas são algumas das inúmeras e recorrentes queixas que temos recebido dos candidatos, tenho certeza que você tem alguma outra para adicionar à essa lista.

Você pode pensar que isso é exagero. Ok, pode até ser, mas se a percepção coletiva tem sido essa, é sinal claro e indiscutível de que a forma como temos tratado os candidatos deve ser repensada. Não adiantam as desculpas vazias de que o tempo é curto, a culpa é do gestor que não tem agenda, são muitos processos ao mesmo tempo, a empresa não sabe o que quer da vaga, está chovendo, comi carne no almoço de ontem, comprei um sapato novo… Isso mesmo, nada a ver com nada!

O leitor que me ligou hoje foi preciso na sua avaliação do que pode estar acontecendo com essas pessoas:

  1. Falta de Inteligêcia: Não param para pensar que os candidatos hoje desrespeitados, podem ser os candidatos de amanhã ou até mesmo, os contratantes de amanhã
  2. Falta de elegância: Não têm educação e não sabem o que é tratar uma pessoa com respeito e consideração

Bom ponto, não? E você acredita que falta o quê para essas pessoas?

Sorry, there are no polls available at the moment.

Eu prometo que, se receber inúmeras mensagens de pessoas que foram responsáveis pela condução de um processo seletivo e se sentiram desrespeitadas pelos candidatos, publico um texto levantando a questão. Agora, enquanto isso não acontece, que tal repensarmos seriamente a atitude que cada um de nós vai decidir ter, quando estiver conduzindo um processo seletivo? Ajudaria muito…

Até a próxima!

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print

36 Comentários

Muito interessante
Particularmente, isso nao aconteceu comigo mas sei de amigos que sairam de empregos onde estavam e a empresa ,que era bem renomada, cancelou a vaga sem maiores explicacoes

Outro ponto sobre seleção que considero sensível é porque as empresas ainda nao adotaram como conduta padrao informar ao candidato que ele nao foi selecionado para a proxima etapa?
A unica vez que aconteceu comigo foi em 2008, com a Construtora Tenda, hoje do Grupo Gafisa, que me informou por email dizendo que meu cv ficaria num banco de dados mas infelizmente eu nao possuia o perfil procurado.
Fiquei sabendo depois que, com a crise da construcao civil naquele ano, o rapaz contratado foi demitido 3 meses depois….mas aí já é outra historia né

Olá Fernando,
Todos nós conhecemos alguém que já tenha passado por uma situação similar.
MAs é verdade que tb conhecemos colegas que vivenciaram ótimas experiências com processos seletivos bem desenhados e conduzidos.
Vou escrever sobre os bons exemplos também, acho que serve de modelo para aquelas empresas que desrespeitam seus candidatos e possíveis consumidores.
Volte sempre!
Claudia

Olá Claudia, obrigada por abordar o assunto.
Na verdade, já estava me sentindo a única à passar por isso. Se for contar os processos dos quais participei e recebi algum retorno, não uso todos os dedos de uma mão. O desrespeito começa quando eles não falam nada sobre a vaga, querem que você vá “no escuro” sem nem saber se aquilo realmente te interessa ou não. Penso que esse tipo de atitude é uma perca de tempo para o candidato e para o selecionador, porque se não for interessante, ambos empenharam seu tempo e recursos em algo que não dará em nada. Passada essa etapa, geralmente chegamos antes do combinado, não muito pra não ser deselegante, mas nunca depois, mas e os selecionadores? EU NUNCA, ABSOLUTAMENTE NUNCA fui atendida no horário marcado, é sempre assim mas eu nunca acostumo. De todas as terríveis experiências que já passei a pior foi de uma empresa renomada no segmento têxtil, que me convovou para uma primeira entrevista com o RH, uma semana depois uma dinâmica que não pude ir, pois havia um compromisso profissional marcado há muito tempo. Mesmo assim que retornaram dizendo que embora não tivesse participado da dinâmica meu currículo era muito interessante e gostaria de agendar uma entrevista com o diretor da área. Lá vou eu novamente, um investimento de aproximadamente R$ 100,00 entre combustível, pedágio e estacionamento. Uma hora… duas horas… duas horas e trinta e quatro minutos depois do combinado o tal diretor entra na sala, com uma cara de descofiado faz meia duzia de perguntas subjetivas e diz que pra eu aguardar o retorno do pessoal do RH (obs. isso tudo durou no máximo10m). Achei super estranho, mas permaneci na sala ainda 30m. No fim das contas não recebi o retorno até hoje, não entendi direito o que foi aquilo e me senti uma idiota por tudo que passei. Sinceramente, é muito frustrante…

Olá Elida,
Esse tipo de reclamação tem sido constante entre os diferentes e-mails que recebemos aqui no Salada.
Triste, frustrante, revoltante.
Uma das competências que temos que desenvolver, para passar pela maratona dos processos seletivos, é resiliência.
Publiquei tb esse outro post que aborda o assunto.
http://saladacorporativa.com.br/2011/03/candidato-pede-respeito/
O cancelamento de entrevistas em cima da hora já virou um hábito entre os maus recrutadores.
Mas não deixe essa frustração ser maior que sua vontade de encontrar uma vaga em uma empresa que a inspire.
Sucesso e espero ter sempre a sua cmpanhia por aqui!
Abraco,
Claudia

Sou uma profissional de RH, infelizmente atualmente desempregada e INFELIZMENTE tenho sentido na pele tudo o que acreditei que um RH não devesse agir ou ser.

Uma das experiências recentes que tive… (ficaria horas detalhando os absurdos que já ouvi e vi)…
Tenho 40 anos, solteira e meus pais moram comigo (aliás, um parênteses aqui… As pessoas parecem não entender a grande diferença entre “morar com os pais” e “os pais morar com vc”).
Recentemente fui chamada para uma entrevista em uma empresa nacionalmente conhecida, com grande destaque no segmento e “nos cases em curso de pós graduação”. Fui atendida por uma garota de não mais de 23 anos, que se apresentou como a responsável pelo Recrutamento e Seleção, utilizando várias gírias e em sua fala (tipo, “beleza” e outras coisas que ao meu ver pegam super mal em um ambiente de trabalho). No final “da entrevista” (que me custou muito e me fez repensar o quanto tenho aprendido em termos de “paciência”), escutei a seguinte pergunta? “Mas e aí? Vc tem intenção de casar um dia? Ter filhos? Sair da casa dos seus pais e ir morar sozinha?”.
Percebi a grande inferência que estava por trás dessas perguntas, já com respostas que queria ouvir, embutidas em pontos de interrogações desnecessários. Nem precisava ser psicóloga pra entender que tudo isso é um projeto de vida que ELA tem pra ela. Lógico, que a garota estava preparada para ouvir o que desejava, sem respeitar minha resposta, inclusive minha privacidade. Me pergunto, o que isso pode ser relevante em um processo seletivo? O que acrescenta à empresa? O quanto as pessoas (RHs) estão dispostos a ouvirem respostas diferentes do que “esperam”? Aliás, a pergunta que não quer calar… O que é que profissionais como essa estão fazendo em RH?
Quando penso que são RHs assim que estão ativos, fico angustiada e triste.

Outra situação aconteceu ontem. Semana passada recebi um contato de uma agência de empregos super bem conceituada aqui na cidade, agendando uma entrevista (não havia vaga, mas gostariam de entrevistar para “adiantar” algum processo futuro). Assim, deveria procurar por “fulana”. Cheguei antecipadamente ao horário agendado e procurei por “fulana”, que por telefone, informou à recepcionista que não sabia do que se tratava e que não havia agendado nenhuma entrevista para o dia. Após escutar alguns “e agora? o que eu faço?” da recepcionista e ver sua cara de “ué”, saí de lá sem entender o que aconteceu e como uma empresa deixa isso acontecer aos profissionais, que pelo seu seu segmento são a matérias-primas para o seus trabalhos.

Lamentável!!!

Olá Luciana,
é triste constatar que situações como essa têm sido cada vez mais recorrentes.
Acho que o foco das empresas têm sido a geração de resultados, cada vez maiores e mais rápidos. Assim, fica fácil perceber que pessoas e o tratamento que dedicamos à elas, não estão presentes em todas as agendas corporativas.
A situação que você comenta sobre fronteira entre pessoal e profissional é bem crítica e prometo que vamos escrever sobre isso.
Veja, também, esse outro post que publiquei sobre o tema, tb foi com base em um email recebido de uma leitora.
http://saladacorporativa.com.br/2011/03/candidato-pede-respeito/
Sucesso na sua busca, desejo que se depare com profisisonais e empresas que têm feito um trabalho ético e profisional e que um deles seja seu futuro empregador!
Abraço,
Claudia

Claúdia participei de dois processos seletivos em duas grandes empresas e recebi a resposta hoje que simplismente cancelaram o processo. Acho realmente uma falta de respeito por parte dos empregadores, uma vez que perdemos algumas horas com testes e várias entrevistas e recebi apenas um e-mail sem realmente ter uma explicação verdadeira. Falta de elegância mesmo uma vez que estamos buscando uma nova oportunidade e nos deparamos com tais situações.

Renata,
Acrescento que muitos desses testes não são sequer avaliados durante o processo. Uma perda de tempo que gera cansaço, expectativa.
Há mesmo profissionais deselegantes e desrespeitosos que têm manchado a imagem daqueles que trabalham com profissionalismo e repseito.

Em muitas situações o candidato é bem mais preparado do que a empresa.
Empresas estão perdendo prováveis colaboradores bem capacitados em decorrência de alguns péssimos profissionais de RH.

Alexis,
Mais um!
Impressionante o número de leitores que relatam ter passado por lamentavel experiência.
Uma vergonha.
Obrigada!
Abco

Roberto,
é verdade. Muitas vezes a pessoa que está responsável pela entrevista está despreparadanão tem preparo e experiência para conduzir um processo. Já aconteceu comigo algumas vezes.
Infelizmente isso e tudo mais que foi relatado aqui tem acontecido com alguma frequência.
Abco

Pessoal,

Realmente é lamentável, tudo isso.
Sem contar que o psicológico do candidato já está mexido, pessoas que já estão desempregadas à muito tempo, ou seja uma pura falta de respeito.
Certa vez estava em uma agência de emprego, e a candidata do meu lado estava somente com o dinheiro para ir e voltar e em jejum, porque não tinha dinheiro para comer, e detalhe, o processo seletivo, levou praticamente o dia todo, para chegar ao final, o recrutador falar que entraremos em contato.
E é lógico, esse contato nunca foi feito.
Então o que fazer? Continuamos tentando, porque se não o fizermos continuaremos desempregados.
Essa é a realidade!

Solange,
Temos que tentar sempre!
Pq precisamos e pq temos que acreditar, sempre, nas pessoas.
Não podemos perder a crença de que existem sim, profissionais que tratam o outro com respeito e dignidade, independente do processo.
Infelizmente existem os que são capazes de fazer algo como o que voce relatou, uma vergonha…
Obrigada pela participação!
abco

Acrescento uma opção: falta perder o emprego e ser vítima do mesmo comportamento. Como dizia minha avó, “para ver o que é bom pra tosse”.

Abraços,

AK

Alexis,
Isso mesmo. Muitas vezes às pessoas só aprendem algo quando tem a chance de vivenciar a mesma experiência, para coisas boas e ruins.
Obrigada!
Abco

Claudia, no campo de votação deveria ter mais uma opção: todas acima.
Eu mesma, já passei por uma situação como candidata, que me deixou indignada. A Selecionadora era, não sei se ainda é, tao despreparada como selecionadora, que durante a Dinamica de Grupo a mesma deixou claro a sua
escolha.
Não acredito que qualquer argumento venha justificar tal atitude, acredito sim em falta de preparo dos profissionais.
É lamentável!
Denise

Denise,
Ótima observação.
Quando escrevi o texto, não imaginei que essa opção fosse necessária, mas para minha infeliz surpresa recebi diversas mensagens que, assim como a sua, comprovam que errei ao não incluí-la na lista. Vergonha, ne?
Obrigada!
Abço

Claudia,
isto me faz pensar no meu momento atual, em que busco oportunidade e recebo todo tipo de retorno.
Tenho gratas surpresas de encontrar EXCELENTES profissionais mas também de ver empresas que, sequer têm RH, e te tratam como nada.
Já vi de tudo nestes 2 meses que procuro vagas: email sem resposta ou que retornam erro (caixa-postal cheia – pode? – ou endereço errado/inexistente), pessoas que respondem apenas para dizer “recebido” (?), vagas que estão abertas e, após vários acompanhamentos que faço (sem resposta ou receber um “o processo está em andamento”) fico sabendo que a oportunidade já se encerrou (sem saber se contrataram alguém, se foi cancelada) – e se não fizesse acompanhamento sequer saberia disto, recrutadores que ligam de números bloqueados, ou te buscam apenas por email (já vi o absurdo de me adicionarem no Skype e, quando faço uma chamada, me dizem que não têm fone-de-ouvido e microfone) e também quem acha que deve discutir comigo quando comento que a exigência de oportunidade não condiz com a (baixa) experiência definida para a vaga…
Felizmente encontrei alguns (poucos mas muito bons) profissionais que merecem este nome e fazem muito bem seu trabalho, me dando informação, respondendo minhas dúvidas, lutando para minha colocação.
Só algo que ainda me chama a atenção é: porque não podemos saber o resultado da avaliação de nosso currículo e testes (quando o fazemos) para recrutadores nos avaliarem?…
Um site chamado VAGAS.com.br me chama a atenção. As mensagens que recebe deles não permite resposta. Ou seja, você não tem qualquer chance de tentar negociar ou deixar conhecerem mais de você. Pode isto?

Olá Marcelo,
você conta situações que, infelizmente, têm sido bastante mencionadas pelos nossos leitores. Uma vergonha.
Mas voce menciona um ponto que tambem merece nossa atenção.
Não podemos esquecer que existem empresas e pessoas que trabalham com profissionalismo e respeito, que conduzem os processos de recrutamento & seleção com bastante zelo e interesse no outro.
Desejo sucesso nessa sua busca e que possa conhecer mais profissionais do nível que menciona. Vou escrever sobre esses exemplos, assim, reforçamos um modelo positivo.
Abco

Eu mesmo passei, recentemente, por uma situação que não gostaria que ninguém tivesse a mesma experiência negativa. Uma empresa que se diz de recrutamento e seleção, chamada D´Moraes, me telefonou informando que existia uma oportunidade de trabalho, não sei como conseguiu o meu telefone, e marcou uma entrevista onde me foi colocado pelo “consultor” que com o meu perfil e experiência seria rapidamente recolocado no mercado de trabalho, desta forma me “vendeu” o serviço de recolocação e na vontade e igenuidade de me recolocar paguei por este “serviço”. Quando fui procurá-los para marcar uma reunião para me posicionar qual o trabalho que eles estavam efetuando, para a minha surpresa fui informado que somente estavam atendendo por meio eletrônico, que não poderiam realizar reunião presencial, e o pior ainda, no contrato que foi assinado consta que eu poderia sim solicitar essa reunião. Quando mencionei este fato fui destratado por diversas vezes pelo meio eletrônico.
Realmente é um absurdo existir no mercado este tipo de “empresa”. Falta inteligência, profissionalismo, elegância, preparo, ou melhor dizendo, não possui nada para poder se encontrar no mercado de trabalho e prestar esse diserviço!

Dalmo,

Infelizmente você caiu num golpe. A D´ Moraes já responde por vário processos, que vão de propaganda enganosa à estelionato. Um conselho à todos, antes de atenderem ao chamado destas empresas confirmem todos os dados e procurem na internet sobre os precedentes da mesma. E claro, NUNCA PAGUEM NADA POR ESTE TIPO DE SERVIÇO! Quem deve pagar é a empresa contratante.

Infelizmente ha muitas empresas no mercado pregando esse tipo de golpe.
Muito bom chamar a atenção dos leitores para isso.
Obrigada!

Dalmo,
lamento por ter passado por essa situação. É uma vergonha que existam pessoas e empresas capazes de praticar tal golpe.
Uma verdadeira lástima a existência de “profissionais” (se é que podemos usar esse termo) que se propõem a esse papel.
Desejo sucesso na sua carreira e que esse tipo de experiência seja compartilhada, como você está fazendo, para que outros não passem pela mesma situaçao.
Abco

Obrigado e a idéia é justamente usarmos esse canal e quantos outros para disserminarmos este diserviço! Um abraço.

Claudia infelizmente o artigo é muito oportuno. E eu percebo que o número de “profissionais” de recrutamento e seleção que agem assim vem aumentando!

Eu mesmo já tive o desprazer de ser chamada para uma última etapa de uma multinacional de seguros para me apresentar para o grupo. Só. Falei dois minutos.

Como não fui aprovada acho que só queriam me ver.

Após essa apresentação saí do prédio acompanhando uns cinco candidatos e presenciei o RH confirmando com cada um deles. Ninguém me ligou.

Na outra semana eu liguei e me disseram que “descontinuaram a vaga”.

O engraçado é que meses depois entrei para um nível acima dessa vaga por indicação do diretor.E todos estavam lá.

Saudações!

Ótimo Ana,
Essa experiência que conta tem sido relatada por muitos leitores do Salada que têm me enviado mensagens. É vergonhoso que profissionais despreparados e desrespeitosos venham optando por esse tipo de abordagem, representando de forma negativas as empresas e causando tanto desconforto para os que buscam uma posição.
Obrigada!
Abco

As pessoas estão perdendo a noção de CIVILIDADE… Acho q passam tamnto tempo na frente da máquina que esquecem que lidam com seres humanos (sentimentos, individualidades, pensamentos adversos…)
Está na hora de repensar, rever atitudes.

Olá Silvia,
Concordo com você e, pelos comentários que tenho recebido, muitas pessoase partilham da mesma opinião.
Foquei nos processos de R&S, mas creio que isso tem acontecido em diferentes situações que permeiam as relações entre seres humanos.
Obrigada!

No momento estou em busca de um novo emprego e boa parte do relatado no texto já vivencie. A falta de retorno quando vc participa de um processo, principalmente quando o recrutador deixe claro que temos a sua aprovação e devemos aguardar a posição do gestor para a próxima fase.Isso é muito, muito pior que a reprovação no início.
A ansiedade, a esperança que poderá ser aprovada com o passar dos dias transformar-se em angustia, dor e até nos questionamos como pessoa no merecimento de atenção.
Um dia , o meu ex-diretor em palestra disse ” faça para as pessoas que vc gostaria que fizessem para vc”. Nunca esqueci essa frase, imagino que todos somos merecedores de respeito, educação e atenção e alguém que busca um emprego está muito mais sensível , sendo assim acredito que a pessoa que se propõe a ser um profissional de RH, principalmente recrutador deve ter o respeito pelo ser humano , e afirmo que esse respeito impulsiona e motiva o candidato a continuar a busca com esperança.

Olá Sandra,
Sinto se voce faz parte do grupo de leitores do blog que vivenciaram essa triste experiência.
Mas acho que essa frase que vc menciona tem deixado muitas vezes de ser praticada sim, mas não só em R&S.
Após a publicação do texto, recebemos alguns emails mencionando que esse tipo de coisa tem acontecido em diversas outras situaçoes que envolvem o relacionamento humano.
Citaram por exemplo, os proprios candidatos. Muitos não dao retorno ao HH e desistem no meio do processo seletivo, faltam às dinâmicas de grupo e não avisam, usam a proposta de uma empresa somente como forma de negociar salarios internamente.
Mencionaram tb relacão com fornecedores. Empresas que pedem proposta somente para incluir na cotação feita pelas áreas de compras, chamam fornecedor para reunião só para conhecer mais sobre a forma de conduzir algum processo ou projeto, pedem proposta com urgência e nem sequer confirmam o recebimento…
É um pouco do outro lado da moeda e isso me faz acreditar que há mesmo algo de muito errado na forma como as pessoas têm tratado os outros.
Triste, não? Esse tema vai ser revisitado em algum texto futuro meu, com certeza.
Obrigada pelo texto e pela frase que se mostra super atual.
Sucesso na sua busca.
abço

Parabéns Cláudia pela iniciativa,

Tenho passado tanto por várias dessas situações atualmente que nem sei descreve-las integralmente. Como estão ruins os processos e principalmente a integridade dos profissionais de recolocação..incrível. Senti-me como se o artigo fosse sobre os ultimos 2 meses de minha vida.
Tenho algo a acrescentar: a empresa que atuo hoje tem acordo com seus fornecedores e concorrentes no mercado em que atua para que estes não ‘tirem’ funcionários dela. Pois bem, até aí, quando descobri não fiquei muito ‘assustado’; mas, recentemente descobri que grandes empresas de recrutamento que prefiro não citar o nome também estão fazendo este acordo com a ‘minha’ empresa para que não aceitem profissionais dela nos processos seletivos, acredita? O duro é que estas empresas não tem vagas em uma só área: tem nas áreas de óleo e gás, papel e celulose, açucar e alcool, e por aí vai…e tem na mão o meu currículo e a minha vontade de me recolocar. Sabe o que duas delas me sugeriram? QUe eu me demita, aí assim elas podem me chamar para participar para o processo. Já mensuraram os riscos? E se eu não passar? E se não houver vagas no meu ´perfil? e mais: uma delas me sugeriu pegar uma carta com meu RH me liberando para os processos…de nov, vcs acreditam? Chego no meu RH e falo, quero sair, me dê uma carta para participar de processos seletivos? Serei demitido na hora!!! Bem, eu queria saber escrever tão bem como vc Claudia, para minimizar um pouco as minhas palavras que refletem minha constante insatisfação com os profissionais de RH no geral e falo: nos últimos 2 meses, NENHUM, digo nenhum deles foi ‘humano’ em nenhum dos processos (entrevistas em horário de trabalho que duram 15 minutos, feedback zero, retornar email ou atender telefone, e por aí vai). E depois encontramos sites e dicas diversas de como se vestir, como nos melhorar nas entrevistas, fazer um curriculo bom. Terrível, vou parar por aqui. Boa sorte para vc que possa estar na mesma situação que eu!!

Olá,

Quero dizer que gostei muito do assunto abordado sobre o processo seletivo e forma como são conduzidos.
Semelhante aos que encontram-se entre empregos, passei e passo por situações verdadeiramente humilhantes. Me formei em Marketing e tenho experîencia na área, mas creio que não seja o suficente, pois estou há cerca de 11 meses procurando uma recolação.
Passei por diversas dituações como uma vez que uma montadora de carros chinesa recém estabelecida no Brasil em que o Diretor encontrou meu currículo num site muito conhecido de recolocação, que obviamente estava descrito meu objetivo, experiência e tal. Na data e horário agendados o mesmo que havia me ligado perguntou pra qual vaga eu estava vindo e repobdi que era para departamento de Marketing. Quando ironicamente me espondeu qua a vaga que tinha á oferecer era para vendedor de concessionária. Me senti um lixo! Não poderia antes de me ligar ao menos ler meu currículo ou avisar pelo telefone a vaga que tunha em aberto?
Uma outra situação, ocorreu há uns quatro meses quando uma empresa no segmento de TI encontrou meu currículo e convidou-me parauma entrevista. A vaga é para substituir uma funcionária que entraria no período de maternidade. Comapreci no local e horário marcados e a entrevista procederia com a mesma, mas quem apareceu foi a Gerente de Marketing que ao ser anunciada da minha presença fez uma cara que não sabia de nada.
– Você recebeu o contato de quem para entrvista?. Eu disse que foi da fulana.
– Ela está em horário de almoço.Vamos pra uma outra sala ( com a cara do tipo ” Que saco, não tem outra pessoa pra fazer isso né?)
Não demorou nem 10 minutos e durante o período em que eu falava ela começou a fazer caras e bocas. Foi horrível! Fiquei totalmente desconcertado. Fui embora minutos depois totalmente frustrado.

Nos dias atuais é raro encontrar empresas que respeitam os que estão procurando emprego e participando do processo seletivo. Há quase 2 meses estou procurando emprego, e tenho enfrentado dificuldades de retorno dessas empresas. Participei de 9 entrevista e somente 01 empresa me deu retorno. Sem contar que tem empresas que marca a entrevista para um determinado horário e deixa o candidato esperando, teve uma vez que fiquei 2 horas à espera da entrevistadora, de meia em meia hora eu ira na recepção para lembrar que eu estava ali, uma tremenda falta de respeita. Outro caso foi de uma empresa que me chamou para fazer um teste, cheguei as 10hs e só sai de á as 17hs, o teste era para analisar a conta da folha de pagamento e apontar as diferenças, me prometeu retornar no mais tardar no dia seguinte, já tem quase um mês e nada.
E sempre quando vou a alguma dessas entrevistas me informam que a vaga é urgente, para início imediato. Eu pergunto, o que custa me enviar um email, ou até mesmo dar um telefonema e dizer que não estou apta para a vaga? Deixa a gente esperando na ansiedade, na esperança de uma resposta positiva!

Olá Claudia,
Sou Vera, sua aluna na FGV,(RH aula dia 23/06). Adorei seu blog e aproveito para compartilhar o que aconteceu comigo.Tive uma experiência frustrante em uma grande companhia internacional. Já havia trabalhado prestando serviços para a mesma empresa durante 5 anos e conhecia a missão, valores, pessoas, era muito querida e bem ambientada. A vaga a que pretendia estava dentro das funções que exercia para a empresa nesse tempo e eu era mais do que preparada para a função. Recebi uma ligação de uma pessoa da diretoria, que me indicou à vaga e marcou um dia para minha entrevista com o RH. Como é de praxe nessa empresa, a pessoa responsável pelo RH foi me buscar na porta para irmos juntas à sala de entrevista(essa pessoa era nova na empresa e não me conhecia) e no caminho, todos falavam comigo, me abraçavam, alguns gerentes gritavam meu nome de dentro das salas e nós tínhamos que parar para que eu pudesse cumprimentá-los, a menina estava atônita e me disse que na semana seguinte à minha contratação iria me indicar para ser representante da CIPA…Fiz a entrevista e a responsável chamou o gestor para me entrevistar, ele chegou e disse na frente de todos que se recusava a me entrevistar pq conhecia muito bem meu trabalho e que essa entrevista era desnecessária, assim como a entrevista em inglês ( a funcionária do RH comentou com minha entrevistadora que eu tinha conversado em inglês com todos os gerentes(eles são todos estrangeiros). O resultado disso é que voltei para casa me considerando empregada e…………até hoje 3 anos depois….não recebi sequer um telefonema deles……..hoje é motivo para riso mas na época chegue a ficar doente. Um abraço e até dia 7/7. Em tempo….já fiz minha inscrição no Linkedin!

Realmente isto tem ocorrido muito… Aliás atualmente recebo muitas ligações dessas “empresas” que dizem que acharam seu currículo interessante!! É muito fácil pescar quem está desesperado e desempregado!! Boa iniciativa do blog em alertar sobre este problema.

Boa Noite
Álvaro Quintana