Voltar

Novos Caminhos para a Comunicação Interna

Cada vez mais o assunto Comunicação Interna vem ganhando destaque nas empresas por ser reconehcido como um dos importantes fatores de melhoria do clima organizacional e, consequentemente, da retenção de talentos.

Novos rumos e possibilidades vêm se incorporando ao processo de gerencimento da comunicação interna e o uso, ou não, das muitas e diferentes mídias e redes sociais tem contribuído muito para isso.

A “chegada” do Endomarketing pode ser citado como um dos fatores que contribuíram para que o processo de Comunicação Interna entrasse de vez para as agendas corporativas. Afinal, nada mais natural do que aceitarmos que antes de vender um produto para nossos clientes, precisamos convencer nossos funcionários a comprá-los!

Através de estratégias e conceitos de marketing utilizados na captação e retenção de clientes externos, criam-se estratégias e ferramentas para fazer com que os funcionários compreendam e percebam identificação com a filosofia das marcas e produtos ou serviços, que diariamente ajudam a vender.

A necessidade vai além de transformar os funcionários em “compradores” dos produtos e serviços. As empresas precisam “contaminá-los” com a sua visão, missão e valores.

O Endobranding chega com esse propósito: mostrar como os atributos da marca podem ser percebidos na forma como a empresa faz negócio e gerencia seus recursos.

Os conceitos de branding são utilizados de diversas maneiras como forma de propiciar que funcionários identifiquem esse alinhamento.

São muitos os desafios e possibilidades para a construção e realização de uma estratégia de Comunicação Interna que integre esses diferentes conceitos e mobilize as diversas áreas para que essa estratégia ganhe vida e saia do papel. Você já parou para refletir sobre a Comunicação Interna da sua empresa e os pontos abaixo?

  • Quais são os indicadores utilizados para mensurar desempenho?
  • Concede ou não acesso às mídias sociais? Quais os benefícios e riscos envolvidos?
  • Há o uso de diferentes e inovadores veículos para comunicação com todos na empresa?
  • Quem tem mais força: Comunicação Interna ou a Comunicação “Informal”?
  • Convergências de antigos e novos meios de comunicação
  • Os funconários “compreendem” o Modelo de Gestão da empresa?
  • Há coerência com o que se “vende” externamente e o que se pratica internamente?

Nossa! temos assuntos para milhares de posts e para ricas discussões, mas o que não podemos nos esquecer nunca é que a responsabilidade de se fazer entender é de quem quer comunicar algo, certo?

Aqueles que trabalham diretamente com o tema ou desejam se aprofundar, podem participar da Conferência de Gerenciamento de Performance em Comunicação Interna que ocorrerá em SP nos dias 28 e 29/03.

O Salada Corporativa fará a cobertura do evento e depois eu conto tudo para vocês, ok?

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print

2 Comentários

Oi, Claudia!
Vejo o papel da comunicação interna cada vez mais importante, contribuindo cada vez mais para uma maior integração corporativa e para o desenvolvimento do clima organizacional, das pessoas e do negócio.
Como consultora em organizações públicas, privadas e sociais, posso te dizer que, independente do tamanho ou do segmento, TODAS têm um enorme desafio em incorporar a comunicação interna como um efetivo instrumento de gestão, trabalhando-a com eficiência para gerir as competências individuais e organizacionais, estrategicamente…
O público interno é, sem dúvida, um dos (senão o maior) maiores responsáveis pela reputação e pela imagem que a empresa projeta para clientes, concorrência, formadores de opinião, imprensa… Assim, o investimento na comunicação entre funcionários deve ser encarado como receita. A comunicação interna é um diferencial competitivo… Será que os gestores têm pensado sobre isso?