Voltar

Funcionário Novo? Oba!

A chegada de funcionários novos é sempre motivo de dúvidas, ansiedade e, também, muuuuuita curiosidade. Tanto por parte de quem embarca, quanto por parte de quem já está no barco. 

O assunto foi abordado por Juliana Cariello na edição de julho da revista Você S/A da Editora Abril. Quando ela me ligou falando da matéria, achei o tema mais do que apropriado e adorei poder contribuir. A edição deste mês traz na matéria de capa, um tema que sempre merece nossa atenção: Roubadas de Carreira e tem, também, muitas dicas e reflexões interessantes. Vale sempre a pena, a leitura! 

Confira um trecho da matéria em nosso Clipping

 As idas e vindas de profissionais se intensificou pelos corredores das empresas e, junto com isso, os prós e contras para as pessoas e para as empresas. 

Descontinuidade sempre existe, mas também pode ser enxergada como uma oportunidade de inovar. 

Muitas vezes a ausência de quem se foi deixa saudade, mas é um momento de criação de novos laços e, dependendo de quem vai pode ser, também, uma excelente renovação do ambiente. 

A rede de contatos sempre aumenta, os que ficaram podem ampliar seus contatos com ajuda de quem foi e de quem iniciou na função. 

A questão é que muitas vezes não temos paciência e tolerância para receber quem chega, para explicar como as coisas são feitas por ali, muitas vezes compartilhamos rapidamente o que é explícito, mas não gostamos de dividir o que é tácito e não está visível aos olhos em um primeiro momento. 

Há regrinahs de ouro para ambos os lados e seria muito bom que todos os nossos colegas as respeitassem. Nessa linha não cabem caixas-pretas, nem postura de quem tudo sabe, tão pouco vale chegar como se fosse a salvação do pedaço, como quem tem respostas para tudo e de tudo um pouco já exerceu. 

Humildade e acolhimento formam uma bela dupla para transformar o temido turnover em oportunidade de crescimento e desenvolvimento para todos. 

Da próxima vez que um novo colega de trabalho chegar, coloque-de no lugar dele e faça exatamente como gostaria que fizessem com você. Pense em como você pode facilitar sua integração e, assim, aprender e ensinar, mudar o que não mais tão bem funcionava e  preservar aquilo que realmente faz diferença. 

Tem alguém novo chegando? Aproveite! 

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print