mudar é arriscar
Voltar

Quando mudar é arriscar?

Se você tem dúvidas que mudar é arriscar, continue até o final deste artigo. Vamos fazer uma reflexão sobre essa questão que consome profissionais em diferentes áreas e estágios da carreira.

Essa pergunta também não conta com uma resposta exata. “Sim” ou “não” são palavras curtas demais pra dar conta da complexidade que o medo e o desejo da mudança trazem para a vida profissional de alguém.

Existe uma frase atribuída a Confúcio (filósofo chinês que viveu antes de cristo) que confirma esse tipo de realização como uma busca muito antiga:

“Escolha um trabalho que você ame e nunca terá que trabalhar um dia em sua vida”.

Afinal, quem não deseja ir para o trabalho todos os dias portando um largo sorriso? A busca por um trabalho com propósito é justa e perfeitamente possível, conforme já abordei neste artigo.

Eu recomendo que o desejo de mudar venha acompanhado de uma profunda reflexão.

E se o arrependimento bater?

A vontade de mudar está presente tanto no profissional júnior, ansioso pelo crescimento e reconhecimento, quanto naqueles profissionais que já acumularam experiências diversas e são respeitados em seus meios.

Mudar é arriscar, sempre. Pode ser que o profissional não se adapte ao novo ambiente de trabalho e deseje voltar para o que tinha antes. Nesse caso, cabe questionar:

  • Qual o contexto atual do seu trabalho;
  • Quais as vantagens e desvantagens que você, na ocasião, identificava na situação que tinha e na situação planejada?
  • Quais as dúvidas, incertezas, questionamentos acompanhavam esta reflexão?

Mesmo quando nem tudo ocorre conforme o esperado, lembre-se que a chance de voltar atrás só existe para quem busca pelo novo em sua carreira.

Como fazer uma mudança consistente?

Antes de fazer qualquer mudança, seja de área de atuação ou mesmo de emprego, tenha cuidado com a precipitação. Você não precisa mergulhar de cabeça na primeira oportunidade que passar na sua frente.

Há casos em que fazer tal mudança não vai trazer a motivação e satisfação que você procura, afinal, as razões que tiram a sua vontade de ser cada vez melhor não estejam ligados à situação atual.

Às vezes, o conflito é interno e tem relação com a maneira como você enxerga agora. Ir ou ficar deve ser encarado como uma decisão, e não uma fuga. Compare a sua situação atual com aquilo que você busca.

Se mudar é arriscar, saiba que erros e acertos fazem parte dessa trajetória. Dispense a culpa caso algo não saia da maneira como você esperava. Aproveite os erros para aprender, celebre os ganhos e reconheça a sua coragem.

Use essa característica para planejar seus passos profissionais com mais consistência, eliminando riscos desnecessários. Afinal, mudar é arriscar, mas muitas situações podem ser previstas com antecedência.

Sorria e qualquer que seja a mudança, fique com você!

Até a próxima!

Cláudia Klein

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInGoogle+PinterestWhatsAppEmail
print