Está na hora de você ganhar seu aumento
Voltar

Está Na Hora De Você Ganhar Seu Aumento

Matéria para a revista – VOCÊ S/A

Uma argumentação consistente não é a garantia de que você sairá da conversa com o chefe com um aumento, ganhar seu aumento não é tão simples.

Há uma série de variáveis envolvidas na decisão de reconhecer um funcionário, entre elas:

 

– O chefe precisa considerar se você está preparado;

– A empresa precisa aprovar;

– Existência de uma vaga que esteja disponível.

 

Além disto, uma reação possível é a do chefe oferecer uma contraposta, na tentativa de evitar que você se desmotive ou procure outro emprego.

É uma barganha. Você precisará decidir com base na sua lista de prioridades, se deve entrar nessa negociação.

Por exemplo: no lugar de expatriação, ele lhe oferece um novo projeto de boa visibilidade.

 

E agora? Está sem reação?

 

“Dizer não a esse tipo de proposta é complicado, a menos que o profissional consiga mostrar que o benefício não está alinhado ao seu momento atual de vida e de carreira”, alerta Lucia Costa, da consultoria Mariaca.

Na hora de barganhar os benefícios, existe uma regra:

Para cada concessão que fizer, peça algo em troca, diz José Roberto Ribeiro do Valle, presidente da Scotwork Brasil.

Cuidado no entanto para não parecer que você está de olho apenas no dinheiro.

As companhias não querem esse tipo de profissional, por avaliar que não criam vínculos – algo importante no médio e longo prazo, fiz Silvio Calestino, da Alliance Coachning.

Flexibilidade e bom senso são fundamentais.

Considere que abrir mão de sua proposta inicial não é necessariamente ruim.

“Para crescer, é preciso desenvolver diversas competências e aceitar uma oportunidade para fazer, isso pode ser tão vantajoso quanto uma promoção. Em vez de projetar apenas o curto prazo, essa é uma boa chance de se desenvolver” diz Fábio Saad, da consultoria Robert Half.

Só vale a pena aceitar proposta, no entanto, se estiver feliz na companhia e disposto a se desenvolver por lá.

Caso contrário, pense duas vezes, por que, ao dizer “sim”, você está reforçando o compromisso com a organização.

Se lhe oferecerem um MBA, por exemplo, está implícito um vínculo de pelo menos dois anos – ou você devolverá o dinheiro do curso se decidir sair.

A consequência é que aceitar o benefício vai reduzir suas chances de mudar de emprego.

“Na seleção, empresas tendem a evitar profissionais que cursam MBA pago pela companhia atual, porque precisam cobrir esse benefício, o que torna o candidato mais caro no mercado”, diz Fabio Saad.

Então, ouça a contraposta, peça mais informações, pese prós e contras de acordo com seus objetivos de médio e longo prazo e reformule sua proposta inicial.

“Amarre todos os detalhes da negociação de uma só vez e, se possível, formalize por escrito, para não haver mal-entendidos”, diz Silvio Celestino.

– Por Claúdia Klein.

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInGoogle+PinterestWhatsAppEmail
print