Procurar emprego ou empreender? Qual a melhor escolha?
Voltar

Buscar um emprego ou ser empreendedor?

Buscar um emprego ou ser empreendedor?

A pergunta que não sai da cabeça de muita gente

Tradicionalmente somos impelidos a procurar um emprego, ter um chefe, idas e vindas para o mesmo local de trabalho, com dia e hora marcada. 

Porém, com o passar do tempo, algumas pessoas têm substituído essa prática e escolhido o caminho da autonomia e do empreendedorismo.

Claro que que isso gera medo, tem de se calcular os riscos, os possíveis erros e claro, as incríveis possibilidades de dar certo. 

Como diz a frase, por vezes atribuída a Albert Einstein, “Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes”.

É comum que o emprego passe aquela ideia de segurança e de estabilidade, mas no mundo atual, dificilmente esta pode ser uma verdade incontestável. 

 

Neste cenário, o que escolher: um emprego ou empreender?

 

Caso esteja seguro que realmente quer seguir o caminho tradicional, dicas para entrevista de emprego são sempre bem vindas. 

Muitas pessoas acabam escolhendo empregos por questões de salários ou outros confortos que o cargo pode oferecer.

Saber que no dia TAL o valor correto e os benefícios cairão na conta, preocupando-se apenas com a execução do seu trabalho, pode ser uma ideia incrível para muita gente. 

Mas saiba que um emprego pode até dar uma sensação de segurança, de estabilidade, mas além de não ser 100% garantido, empreender pode ser ainda melhor.

Empreender guarda muitos desafios e, frequentemente, vemos empreendedores executando diversas tarefas para levar o negócio para frente.

Ele não só executa sua atividade principal, como tem que estar atento a outros pontos como: gestão financeira, gestão de pessoas, emissão de notas e muito mais.

Quando se empreende, dificilmente você reclamará de tédio ou de estar fazendo apenas a mesma coisa sempre. Quem empreende, tende a crescer muito profissionalmente.

 

Como escolher entre empreender e ter um emprego?

 

Como vimos acima, não é uma escolha simples, pois em muitos casos envolve uma série de quebra de paradigmas e saídas da zona de conforto.

Mas uma ideia é se perguntar, com frequência, se está feliz com o que você faz. Lembre-se que empreender vai muito além de abrir o próprio negócio e ser seu próprio chefe.

Empreender é um estilo de vida, que está diretamente ligado a estar bem consigo mesmo, fazendo aquilo que gosta e que escolheu fazer. 

E ter um emprego, por outro lado, pode significar a construção de uma carreira, a validação pelo outro através de cargos, além de uma série de benefícios que se pode ter.

Outra maneira é se questionar se, com o passar do tempo, sua qualidade de vida irá se adequar aos seus ganhos. Quais são seus planos para o futuro?

Mesmo que o dinheiro não seja um problema, você se vê pensando se não deveria ter seguido por outra área, tentado outras frentes etc?

Pois é, não tenha dúvidas: essa pergunta não é fácil e provavelmente você não irá descobrir a resposta abrindo a geladeira. Mas com certeza você começará a se questionar.

 

E isso já é um início!

 

Um caminho no meio dos dois

 

É comum ligarmos o empreendedorismo somente ao ato de abrir um negócio, colocar uma placa na frente da porta e trabalhar bastante para que clientes entrem e consumam.

Mas a verdade é que o empreendedorismo não é só isso. Muitas características do empreendedor são buscadas pelos contratantes do mercado tradicional.

A criatividade, o planejamento, a flexibilidade, a resiliência, a capacidade de encontrar novos caminhos para se atingir um objetivo são pontos valiosos para uma empresa.

Não à toa, existem várias organizações que têm um modelo de negócio e uma cultura orientada ao empreendedorismo.

O chamado intraempreendedor é aquele que aplica e desenvolve as habilidades do empreendedorismo em uma empresa.

Tal opção pode ser uma excelente escolha para você, já que envolve os melhores pontos de cada modalidade.

 

Ter um emprego ou empreender?  

 

Independente da escolha, é necessário que você tenha em mente seus planos e suas vontades, criando objetivos.

Dessa forma, você começará a refletir e conseguirá enxergar com mais clareza quais são os steps para se alcançar tais objetivos e o caminho que você tem que seguir para isso.

Outra questão é se perguntar se, para você, ter independência e fazer aquilo que gosta é de suma importância ou se você se sente motivado(a) apenas em ter uma função e colaborar para tal.

Se você gosta de ajudar em um projeto de outras pessoas, independente de qual seja, um emprego no mercado tradicional pode ser uma boa escolha.

Mas se você tem um sonho, uma ideia ou um estilo de vida de preferência, empreender pode ser o melhor caminho para realizar tais vontades.

Os dois caminhos oferecem riscos e, consequentemente, medos. Medo de errar, medo de não dar certo, medo de fracassar.

 

Como diria John L. Beckley, “A maioria das pessoas não planeja fracassar, fracassam por não planejar”.

 

Seja sonhador, mas com os pés no chão. Não dê um passo maior que a perna. Mas não esqueça que ser criativo.

Embora ninguém ame errar, cometer erros é preciso para crescer e aprender. E mais: errar não significa que tudo acabou. Pelo contrário: existem mil caminhos para chegar ao mesmo lugar.

Nos dois caminhos, seja o empreendedorismo ou o mercado tradicional, ter a capacidade de criar e ir além dos limites da sua ocupação, faz com que você se destaque!

Tenha sempre a consciência de que você pode fazer mais: planeje, execute, lide com as dificuldades e conquiste, em outras palavras, empreenda: seja no sentido comum da palavra ou dentro da empresa.

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print