Voltar

Mais coisas que você não aprende na faculdade

Mais coisas que você não aprende na faculdade

Conheça algumas coisas que você precisa saber para se virar bem no mundo corporativo.

Segunda-feira você viu aqui algumas coisas que são essenciais no mundo do trabalho, mas que a faculdade não ensina. Pois adivinhe só… Tem mais! Estudar é fundamental e aprimorar seus conhecimentos pode te levar longe, mas você não pode se apoiar só nisso. É preciso ir além e desenvolver competências que não são encontradas nos quadros de horários de aulas.

Você já sabe que carreira escolher? Ah, estou me formando em jornalismo, então serei jornalista. Sim, e daí? Vai trabalhar em televisão, rádio, revista, internet, assessoria de imprensa…? Qual veículo? Um diploma pode abrir diversas postas para você, mas é preciso ter saber em qual você quer entrar e as universidade não apresentam um panorama muito completo do mercado, de forma que você sai da faculdade sem saber com exatidão onde estão as melhores oportunidades, desafios e o que é preciso para se desenvolver ainda mais. A saída para isso? Pesquise. Informe-se. Converse com quem tem uma carreira na sua área.

E liderar pessoas, você sabe? Liderar não é dar ordens e esperar que os outros façam o que você manda. É preciso conhecer as pessoas enquanto indivíduos e profissionais, os talentos e fraquezas de cada um e o que você pode fazer para estimulá-los a ir sempre além. A menos que você faça parte de uma empresa júnior, grêmio estudantil, centro acadêmico ou algum movimento universitário, provavelmente não terá muitas chances de desenvolver essa habilidade.

Contratar é um grande desafio. Não é a mesma coisa que fazer um trabalho em grupo. Na hora de recrutar um novo profissional para trabalhar com você, é preciso mensurar características que vão muito além da afinidade e da experiência. Como a distância que essa pessoa mora do escritório vai afetar a vida dela? Por que ela pode agregar valor à empresa? De que forma a empresa pode deixar sua marca na vida dela? É preciso encontrar alguém cujas habilidades sejam complementares às suas e dos seus colegas, não um mero reflexo de vocês.

Na atual estrutura educacional que temos, você costuma ter poucas chances de negociar na faculdade. Geralmente é o professor que manda ou então propõe uma votação em turma. Nos grupos a negociação é fácil, pois você se junta com pessoas parecidas. Então como desenvolver a capacidade de negociar? Pechinchar uma almofada naquela feira de artesanato que tem na sua cidade já ajuda. Se você se aventurar a organizar a festa de aniversário do seu sobrinho, então, melhor ainda! Não negocie só dinheiro, mas benefícios, formas de cooperação, assistência mútua. A prática leva à evolução.

Se você senta frente da sala, vai continuar fazendo isso e provavelmente não terá que lidar com as pessoas do fundão. O contrário também é real. Isso impede que você adquira a capacidade de estudar e compreender ambientes e pessoas diferentes, o que atrapalha na hora de saber se adaptar. E, pode acreditar, no mundo corporativo você vai precisar se adaptar a muitas pessoas, ambientes e comportamentos. Ser autêntico é essencial, mas é preciso saber se integrar antes de se destacar.

Já imaginou como você se sairia em uma reunião sem essas características? Ah, mas isso dá para aprender no começo da carreira, no estágio ou programa de trainee… Com as empresas seguindo uma tendência cada vez mais participativa e linearizando sua hierarquia, os mais novos têm tido tanta voz quanto os mais experientes. Faça a sua voz ser bem utilizada.

Quer saber mais sobre como se dar bem na carreira? Continue de olho no Salada Corporativa!

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print