Voltar

Especialista em mídias sociais: contratar ou não? – Parte II

Especialista em redes sociais

Descubra o que faz um profissional de mídias sociais e como saber se alguém é indicado para o trabalho.

Na primeira parte deste texto você viu que gerenciar as redes sociais de uma marca não é uma tarefa tão simples assim e, portanto, ter um profissional que destine seu foco a isso é de extrema importância. Mas afinal, o que ele vai fazer? Como saber se uma pessoa serve para ocupar a vaga? Sua experiência deve ser avaliada de que forma?

A principal tarefa deste profissional será cuidar de todas as redes sociais da sua empresa – do Twitter ao blog. Ainda que haja profissionais distintos responsáveis pela criação de layouts, imagens em geral e textos para site, blog ou mesmo as próprias redes, cabe ao Social Media (nome comum atribuído a este profissional) garantir que todo esse material seja visto e, mais ainda, fidelize e amplie o público.

O Social Media deve conhecer o funcionamento e as particularidades das redes sociaisnas quais a empresa está inserida e/ou pretende se inserir. A partir disso, traçará estratégias para garantir o crescimento da marca em cada uma delas. É preciso ter em mente que o Facebook funciona diferente do Twitter e estes, diferentes do YouTube, que por sua vez se diferencia do Tumblr e do LinkedIn e por aí vai. Todas são diferentes, mas todas se complementam.

Através de ferramentas específicas, que podem ser oferecidas pelas próprias redes ou por serviços externos, há é possível medir o crescimento – ou queda – da audiência e traçar novas estratégias para garantir a manutenção dos números ou alavancá-los. Assim dá para saber quais ações estão dado certo e identificar aquelas que podem ser descartadas ou melhor desenvolvidas.

Uau, quanta coisa! Mas e na hora de falar com os clientes? Cada um é cada um. Dessa forma, por mais que seja inteligente ter respostas padronizadas já preparadas para aquelas dúvidas mais frequentes, é preciso adequá-las à pessoa com quem se está falando. Os clientes devem ser tratados individualmente, pelo nome. Pode adequar a linguagem à deles, mas sem jamais perder o respeito e sempre seguindo a forma culta da língua.

Objetividade e transparência são fundamentais. Se aconteceu algum erro, o colaborador que atua no ambiente digital deve ser instruído a posicionar a marca de forma que o problema seja reconhecido, soluções sejam apresentadas e haja um pedido público de desculpas. Pode ter certeza: uma marca que diz “desculpe, nós erramos” é muito mais respeitada e admirada na rede que uma que mantém um discurso defensivo, daquele tipo que diz “não vamos nos pronunciar sobre o assunto”.

Caramba, um Social Media tem muita coisa para fazer… Como vou saber se alguém é bom para a vaga? Converse com o candidato. Procure sentir, pelo diálogo, se ele tem jeito com as pessoas, é descontraído, inteligente, antenado, tem bom conhecimento da marca e do mercado em que ela atua, sabe resolver problemas de forma rápida e eficiente. Essas e outras características são essenciais para o profissional dessa área.

Mas e a experiência? Como vou saber? Pouco adianta o candidato à vaga ter grandes empresas no currículo se ele não absorveu muito do trabalho com elas. Avaliar as redes pessoais dele também não ajuda muito, visto que ali ele provavelmente assume uma postura diferente da profissional. Mas então como saber? Proponha situações adversas e peça que ele explique como agiria. Dê uma boa olhada nas redes que ele já gerenciou e preste atenção em como o trabalho foi feito – da adequação da linguagem ao atendimento ao público. Ver o trabalho é muito mais eficiente que ver o currículo.

Você ainda tem alguma dúvida quanto a contratar um profissional de mídias sociais? Tem alguma dica para isso? Conte para a gente!

Parte I

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print