Voltar

Três chaves para inovar

Três chaves para inovar

Imagem: Outsource Magazine

Inovação é a palavra de ordem no mercado de trabalho. Todo mundo quer se destacar inovando. Mas não basta fazer algo que ainda não foi feito – isso não quer dizer lá muita coisa. É preciso entender a diferença entre novo e inovador. Para compreender melhor essa distinção, você deve analisar a ideia de forma um pouco mais complexa: qual é o legado dela? Que impactos terá no meio ambiente e na sociedade? Como e por que pode ser benéfica para a empresa, os funcionários, fornecedores, parceiros e o cliente final?

Pensando em facilitar essa análise, separamos três termos fundamentais que todo mundo que busca a inovação deve conhecer.

Valor compartilhado

Ué? Como assim? Vou ter que dividir o valor que faturar em cima da minha ideia com os outros? Não, de forma alguma! Aliás, o valor compartilhado pouco tem a ver com o dinheiro em si. Ele trata de tudo aquilo que ressoa da empresa, ou seja, reconhecimento da marca, orgulho de trabalhar, senso de pertencimento, reflexos positivos na sociedade etc. Tudo isso agrega valor à companhia e esse valor é compartilhado por todos envolvidos com ela, da alta gestão aos cargos operacionais, dos fornecedores aos clientes.

Visão sistêmica

Oi? Vou ter que instalar um sistema de segurança para poder ter uma visão de tudo que acontece na empresa? Errado! Esse termo se refere à compreensão do negócio muito além da relação de compra e venda. Como é o relacionamento com os parceiros? Qual é a opinião pública a respeito da marca e como se beneficiar disso? O que faz cada funcionário, cada setor? Como as funções, prazos e tarefas de cada um se interligam? Tendo claras todas as respostas referentes ao negócio, é mais fácil se planejar e criar uma estratégia eficaz para conquistar o mercado – seja em lucro, seja em reconhecimento.

Lucro e propósito

E por acaso alguém sai lucrando sem ser de propósito? Mas aqui não nos referimos a isso, mas ao significado de cada uma dessas palavras tão fundamentais para qualquer empresa. Lucro é a soma adquirida pela marca que não será gasta pagando material, funcionários, fornecedores etc. É aquele dinheiro que se ganhou a mais que o custo de produção. Ele é a energia de uma empresa – sem lucro, não se vai para a frente. Propósito é o conjunto de valores que alimenta a alma da companhia. É a visão, a missão. É aquilo que, mais que salário e benefícios, faz todos os envolvidos quererem dar o melhor de si, pois almejam algo mais importante que um contra-cheque no fim do mês.

Visão sistêmica facilita na hora de gerar valor compartilhado. O propósito também é um tremendo empurrão. E a soma disso tudo acaba gerando lucro. A partir daí é possível criar um ciclo que se impulsiona sozinho e faz cada um desses fatores crescer sempre mais.

E você? Tem inovado em sua empresa?

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print