Voltar

A busca pela qualidade de vida

“Não adianta tentar uma estratégia terrorista contra a obesidade. Isso é fundamental para o tratamento desse problema”, isso é o que afirma Cláudia Cesar, com a autoridade de quem, em 1996, desenvolveu o Núcleo de Estudos sobre a Obesidade e Exercícios Físicos da Universidade de São Paulo, (Neobe-USP). Em 1998, ela apresentou uma orientação em Paris, no Congress Of Obesity, de que para controlar os riscos da obesidade era preciso comer a cada 3 horas. Tese que somente com esta afirmação ficou vaga e mesmo assim só tomou popularidade em 2006. Por fim, acabou em desuso.

Inicialmente, o trabalho contra a obesidade de ser individual e nem de longe uma dieta hipocalórica ou morrer de fazer exercícios físicos vai ajudar. Tudo isso porque 97% dos casos são de origem externa ao organismo como sedentarismo, alimentação, aspectos culturais e emocionais. Portanto, quando se fala em produtividade, tem-se percebido que as pessoas obesas não estão distantes das não obesas, nem pioram com o aumento da gravidade da obesidade. O problema vai aparecer na qualidade de vida delas, na disposição para a vida fora das empresas. Terão menos vitalidade para viver além daquelas horas depois do trabalho.

O importante é sempre variar.

Como não adianta se desesperar, algumas medidas podem ajudar a melhorar sua qualidade de vida. Pode-se começar controlando o desejo de comer toda a hora. É simples: aproveite os intervalos para se concentrar no trabalho, mas atenção, pois problemas, tanto em casa como no trabalho, podem gerar uma ansiedade. Se nestes intervalos entre as refeições pintar aquela fome, busque comer barrinhas de cereais ou uma fruta. Sempre mastigando bem os alimentos. Quanto mais mastigados estiver menor a sensação de fome e o cérebro consegue definir a hora certa em que ficou satisfeito. Agora se você ficou sem tempo para almoçar, opte por um lanche rápido como: grelhados, acompanhados de salada e uma fruta de sobremesa. Nada de refrigerante. Opte sempre por sucos naturais.

Na hora do almoço, escolha sempre saladas, legumes, uma porção modesta de proteína, como carne, peixe ou franco, uma de feijão e outra de arroz. Sempre vai depender dos hábitos de gasto de energia da pessoa para delimitar a quantidade, mas atenção especial às proteínas já que cada porção não deve passar do tamanho de sua mão. O importante é sempre variar. Nesta etapa é bom ir diminuindo o consumo de sal. No lugar dele use mais temperos.

Não se esqueça das fibras, comendo mais frutas, legumes, verduras cruas e farelos integrais. Não tem como falar em boa alimentação sem pensar em um intestino saudável. O melhor nesta fase é que não há restrição, somente pede-se um bom senso, é claro. Por isso coma diversos tipos de alimentos. Variar no que come é preciso. Então procure colocar em torno de cinco cores diferentes em seu prato e assim manter o corpo em harmonia.

Mais uma vez é preciso ressaltar que o maior vilão é a ansiedade. Por isso, nada de comer quando estiver nervoso e sempre evite frituras. E sempre pratique exercícios físicos, pelo menos três vezes por semana ou 30 minutos por dia.

Com todas essas dicas ficará mais tranquilo manter a qualidade de vida e caminhar rumo ao sucesso, não só empresarial como também pessoal.

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print