Voltar

Saiba como foi o primeiro e-Talk Endeavor sobre Demissão e Reestruturação

O primeiro e-Talk Endeavor estreou hoje de manhã com categoria, no Centro Empresarial Rio (Rio de Janeiro). O novo formato abrange duas palestras de conteúdo rico e pesquisa de satisfação dos participantes por e-mail, dois dias depois.

A primeira palestrante foi Raíssa Lumack, Vice-Presidente de Recursos Humanos da Coca-Cola, que falou sobre decisões difíceis da gestão de pessoas – demissão. Raíssa abriu o assunto explicando que demissão é sempre uma experiência difícil, tanto para quem está demitindo, como para quem esta sendo demitido. Para ela, existem cuidados e ações que são fundamentais neste processo, que deve sempre ser a última alternativa.“Cada demissão é única, porque cada indivíduo é único. É preciso estar preparado para todo o tipo de reação: raiva, negação, traição, ironia, choro, barganha, mutismo, resignação…”, disse Raíssa.

Raíssa Lumack

A demissão pode ser consequência de um momento de reestruturação da empresa, mas muitas vezes está relacionada ao próprio indivíduo, ou porque ele não se encaixa no perfil da equipe, ou porque ele não acompanhou a rotina do trabalho. “Contrata-se pelo conhecimento, pela experiência e pelas habilidades e demite-se pela condição de trabalho, estilo de liderança, cultura da empresa e aprendizagem”.

Na hora de comunicar ao funcionário a demissão é essencial ir direto ao assunto, sem rodeios, explicar os motivos, focando em fatos e dados, olhar sempre nos olhos, dar tempo para a reação e absorção da notícia, ouvir o que ele tem a dizer, sem rebater e, principalmente, agradecer sempre a contribuição, “Tão importante quanto os anos que o indivíduo esteve na empresa são esses 30 ou 60 minutos de conversa”, afirmou Raíssa.

Depois de um momento de perguntas e respostas foi a vez de Ricardo Negreiros, fundador da RN Executivos, firma especializada em reestruturação e gestão de negócios, falar sobre reestruturação de empresas.

Ricardo Negreiros

Ricardo abriu dizendo que a empresa é um organismo vivo, então é necessário olhar com frieza para ela. Os empresários precisam saber o que realmente querem e almejam da empresa. Para ele, um projeto de recuperação é muito maior e mais trabalhoso do que um projeto de melhoria. “Evitem as crises. É possível monitorar seu negócio de maneira que ele não chegue ao ponto de não-retorno”, focou Ricardo.

Não há reestruturação sem dor, por isso é importante que os empresários passem por cima de orgulhos e vaidades. Outras ações importantes nesse tipo de processo é comemorar a cada passo dado, por mais pequeno que seja, pois isso gera motivação para todo o conjunto. “Faça um diagnóstico geral e elabore um plano de recuperação com foco em vendas maiores e melhores, além de um plano de comunicação externa e interna”, afirmou Ricardo.

O evento acabou com mais uma sequência de perguntas e respostas e deixou a plateia com gostinho de quero mais. Mas fiquem tranquilos, porque este foi só o primeiro. E, assim que tiver outro, avisamos a vocês. Por enquanto, passem no site da Endeavor e assistam aos vídeos de workshops anteriores se quiserem saber mais sobre os assuntos abordados.

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print