Voltar

Os 10 anos da Resch Recursos Humanos

O mês de abril é de grande comemoração para a Resch Recursos Humanos, consultoria com grande experiência em Recrutamento e Seleção, que completa 10 anos. E para prestigiar, entrevistamos a empreendedora Jacqueline Resch. Confira:

Salada Corporativa: Nesses 10 anos, quais foram os desafios para a Resch se destacar no mercado?
Jacqueline: A Resch se posicionou desde o início como uma consultoria R&S local, atuando no nicho de especialistas e executivos. O foco sempre foi no estabelecimento de relações próximas e duradouras, de modo que quanto mais entendêssemos do negócio e da cultura de nossos clientes, mais aptos estaríamos para identificar os profissionais que realmente pudessem agregar valor. Sempre soubemos que nosso trabalho está baseado em confiança e que esta se conquista com trabalho, resultado e respeito com os compromissos assumidos. O grande desafio foi manter este posicionamento (ser local) em um mundo globalizado. Mas, sempre estivemos convictos de que nossa proposta poderia interessar às empresas que estivessem buscando uma assessoria mais personalizada.

Jacqueline Resch

Salada Corporativa: Qual é o diferencial de vocês?
Jacqueline: Nós funcionamos como um ateliê, uma boutique, que atua na busca de executivos e especialistas. Buscamos compreender cada demanda de nossos clientes no que elas têm de singular e específico. Nossa atenção vai muito além do perfil técnico, e nossas buscas estão direcionadas a encontrar profissionais que estejam em perfeita sintonia com a cultura e os valores de nossos clientes, e cujos projetos de carreira podem ser ali acolhidos e estimulados. É um trabalho artesanal, que exige escuta apurada, percepção desenvolvida, capacidade de análise e proximidade com clientes e candidatos. Este é o perfil de nossa equipe.

Salada Corporativa: Quais foram as principais mudanças que a Resch vivenciou no processo de atração e seleção?
Jacqueline: Foram inúmeras. O mercado de trabalho vem se transformando muito. O paradigma do comando e controle vem dando lugar à autonomia, à iniciativa e à responsabilidade. Os profissionais, hoje, não são mais fiéis aos seus empregadores, mas às suas próprias carreiras. Soma-se a esta nova realidade, o cenário de crescimento acelerado da economia brasileira e a oferta limitada de profissionais. O nosso segmento vive, na carne, os efeitos da mudança de uma realidade na qual os empregos eram raros e as pessoas precisavam das empresas, para uma realidade, na qual os talentos são raros e as empresas precisam dos profissionais. Os esforços de recrutamento, para darem resultado, precisam deixar de ser movimentos pontuais transformando-se em uma estratégia contínua. Os profissionais de R&S, sejam internos ou terceirizados, devem atuar como embaixadores de uma marca e tudo isso é muito diferente do que era há apenas alguns anos atrás.O avanço das tecnologias de conexão e as redes sociais vem impactando também significativamente nossas práticas de recrutamento e seleção.

Salada Corporativa: Qual foi o caso mais surpreendente?
Jacqueline: Uma situação que certamente surpreendeu foi a contratação de uma profissional grávida. O mais interessante é que quando a candidata tomou conhecimento de sua gravidez, nos comunicou que deixaria o processo em função desta situação. Ou seja, ela mesma não imaginou que poderia ser contratada, estando grávida. Sugerimos a ela, não definir nada, sem antes conversar com o cliente, que por sua vez , não viu qualquer problema para que ela continuasse no processo. Foi a candidata escolhida. Certamente, esta admissão está relacionado aos valores desta empresa, mas, sem dúvida, é um sinal dos tempos, no qual velhos paradigmas caem por terra.

Salada Corporativa: Quais são as expectativas e tendências no segmento para os próximos 10 anos?
Jacqueline: O grande desafio das empresas será atrair e selecionar pela identificação aos valores. Recrutar será mais fácil devido às tecnologias de conexão, mas, atrair e reter dependerá de uma proposta de valor que realmente interesse ao profissional que a empresa deseja captar, lembrando que os vínculos tendem a ser bem diferentes com mais pessoas construindo seu próprio portfólio e trabalhando por projetos ou em contratos de curta e média duração. O trabalho da consultoria estará voltado para apoiar o cliente na construção e fortalecimento da marca empregadora , ajudando-a a monitorar sua capacidade de atrair e também na avaliação dos valores e atitudes entendendo as possibilidades de “casamentos” promissores.

Clique aqui e conheça mais sobre a Resch Recursos Humanos!

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print

1 Comentário

Parabéns, Jacque!
São 10 anos de crescimento sustentável.

Bjs
Silvana