Voltar

As Sandálias da Humildade

Essa semana encontrei uma colega que afirmou só conseguir trabalhar bem, com pessoas de alto nível hierárquico.

Na visão dela, essas pessoas são inteligentes e conseguem travar uma conversa supostamente interessante…

Eu não quero ser dona da verdade, mas essa afirmação me deixou um tanto indignada.

Como assim “só consegue trabalhar” com profissionais desse nível? Quer dizer que estagiários, analistas, supervisores, secretárias e toda uma gama de profissionais não têm inteligência suficiente para estabelecer um diálogo? Isso para mim é um devaneio.

Acho que essa pessoa, na verdade, está se escondendo. Sinceramente, será que existe mesmo diálogo? Fico na dúvida se essa pessoa não tem é dificuldade de se relacionar. Talvez o que ela seja é uma pessoa arrogante e, por isso, não consiga reconhecer que todos nós temos valores e riquezas. É muito fácil reconhecer valor em quem ocupa, por exemplo, uma posição de direção. Afinal a influência dessa pessoa no trabalho de quem está em uma organização é direto.

Difícil é a gente mostrar interesse genuíno no que o outro é, no que ele realiza. Nós não somos os únicos a saber de algo, a entender de algo, capazes de fazer algo. Cada indivíduo em um ambiente de trabalho, seja ele qual for, tem seu valor, sua contribuição, tem inteligência e habilidades.

O que mais a gente encontra são pessoas explicando e defendendo a diversidade, mas quantas pessoas você conhece que são capazes de, no dia a dia, prestar atenção no outro de verdade?
Sorry, there are no polls available at the moment.

20111011-193103.jpg

Acredito que devemos dizer a essas pessoas a verdade sobre elas mesmas. Que elas precisam deixar de olhar só para si e para seus interesses, deixar de valorizar só aquilo que elas e seus filhos realizam.

Eu recomendo um remédio infalível para elas: calçar as sandálias da humildade!

Um ótimo feriado!

Claudia Klein

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print

11 Comentários

Adorei esta postagem, Claudia, parabéns! O Título então, foi escolhido perfeitamente! Vou compartilhar, porque creio que essas diferenças precisam acabar: de pessoas se sentirem superiores a outras e humilharem semelhantes, apenas por estarem em uma posição social mais elevada que o outro. Devemos saber e reconhecer que todos dependem uns dos outros, existe um elo que quando é quebrado, afeta a todos, de alguma forma!

Olá Márcia,
Que bom que gostou!
O principal detalhe desse post é o “somente”. Nada de errado afirmar que aprecia conversas e interações com pessoas que ocupam altas posições nas empresas, isso é ótimo! O problema é quando afirma que “somente” tem prazer em trabalhar para presidentes e diretores…
Você disse tudo, uns dependem dos outros e o aprendizado é mútuo, sempre, em qualquer condição.
Obrigada.
Abraço, Claudia.

Desculpe-me se pareço copiar, mas a palavra ¨somente¨ denuncia o estado arrogante em que essa moça se encontra. Eu sou boa no meu raio de ação mas bem sei admirar a capacidade das pessoas que me procuram para ajuda-las.
Sempre estou interagindo com profissionais de alto nível, com anos de experiencia e por isso chegaram a excelência, mas como é bom descobrir novos talentos e aprender mais.
Algumas pessoas tendem a se vangloriarem e não percebem.

Cláudia, muito bom seu post!!! “Humildade”, que palavra doce! Está aí uma qualidade, que creio eu, incomode muita gente, principalmente as que agem politicamente, pois a única coisa que as acompanham é a tal da insegurança. Infelizmente o meio corporativo está repleto delas. O único remédio para isso é “justiça” que geralmente vem acompanhada de quedas espetaculares … dignas de lavar a alma! É preciso observar que nem sempre a estrada mais curta é a melhor! O pior de tudo é que muitas pessoas só acordam para a vida quando levam tombos de proporções significantes, e olha que muitas vezes nem acordam. O indivíduo que tem talento e honestidade jamais apelaria por tais artifícios, são capazes ainda de se relacionar com qualquer escala hierárquica. O mundo clama por HUMILDADE e JUSTIÇA!

Bom post! Já conheci pessoas assim. Eu não acredito que pessoas assim possam ser felizes. Pior: eu não acredito nos valores de empresas que valorizem pessoas assim. Tenho uma empregada doméstica que me ensina muito sobre lição de vida. Ela tem pouco estudo formal, mas é pós-doutorada em vida. Essa, sim, tem muito a me ensinar.

Parabéns pelo tema.
É impressionante como existe pessoas que só valorizam os que tem um poder hierárquico maior, esqueçem que independente da função que exerça todos tem um valor, afinal uma organização não vive somente com os cargos de grande escalão. Precisamos de todos para que seja alcançado os objetivos da organização e humildade é um valor que todo ser humano deveria ter.

Vez em quando é necessário nos depararmos com esse tipo de situação, para percebermos que cada profissional, independente da posição que ocupa e, principalmente o seu nível profissional e social, tem valor enorme nos processos, empresarial e social, para que possamos alcaçar os objetivos.

Imaginemos juntos, se não houvessem:

O Zelador ou faxineiro;
O Porteiro;
O Acessorista;
A Recepcionista;
A Secretária;
O Boy;
e outros profissinais mais, no nível hierárquico inferior.

Como seria o ambiente da empresa que esse sujeito trabalha?

Oi Meninas! Quanta saudade de vocês! Gosto muito dos temas abordados, e este post me fez lembrar uma reportagem que vi. Um psicólogo social vestiu uniforme e trabalhou oito anos como gari, varrendo ruas da Universidade, ele comprovou a existência da ‘invisibilidade pública’, ou seja, uma percepção humana totalmente prejudicada e condicionada à divisão social do trabalho, onde enxerga-se somente a função e não a pessoa, ele disse que Professores que o abraçavam nos corredores da universidade passavam por ele e não o reconhecia por causa do uniforme. Às vezes, esbarravam, sem ao menos pedir desculpas, seguiam ignorando, como se tivessem encostado em um poste, ou em um orelhão. Depois desta reportagem comecei a prestar atenção ainda mais nas minhas atitudes, sempre que posso paro, dou atenção, um abraço, um sorriso ou um simples Bom Dia! (em todos níveis hierárquicos)
Um dia quando fui pagar o estacionamento do Shopping depois de um cineminha fiz o de sempre “sorri , e dei uma Boa Noite!”. O trabalhador do guichê me respondeu com a seguinte frase “ estou aqui desde as 16:00 já são 21:00 e você foi a única que me deu boa noite! “ brinquei com ele para amenizar, e sai feliz pela minha atitude mas triste pela atitude humana. Hoje quando por motivos pessoais não consigo sorrir e desejar o bom dia tão esperado por alguns, as pessoas normalmente percebem, sou parada e desejam diretamente para mim que o meu dia seja bom.
Todas as pessoas tem algo para passar, mas você só conseguirá captar se você der atenção, ouvir, conversar, respeitar.

Beijinhos Grandes
Paty Gomes

Realmente não tem o que falar de uma pessoa com uma atitude dessa, o pior que pessoas assim são mais comuns do que imaginamos. A verdadeira liderança esta naquele pessoa que é capaz de ouvir a todos e ter capacidade de dialogar, respeitar, trabalhar, participar com qualquer nível, raça, etc etc. Muito triste é o que eu pessoalmente posso achar do nível intelectual dele. Carla Girão.

Joseane,engraçado, quanto mais o tempo passa não consigo me divertir conversando com quem está “acima” de mim. As experiências são tão diversificads tão divertidas e tão ricas, que parece que o que vem “de cima” vem caricato…pobrezinha desta pessoinha…De repente Deus faz ela ficar tao por baixo, tao por baixo, que aí vai ser obrigada a rever seu ponto de vista, oh dó! Beijos

Claudia
Gostei muito das considerações colocadas neste texto.
É lamentável que ainda existam pessoas tão medíocres. Estas não conseguem olhar para o que se tem de melhor: humildade, conhecimento nato, pureza, alegria de viver e amor.
Uma empresa é composta por pessoas, mas não precisanmos de pessias prepotentes, estas não dispensamos.
Sucesso sempre!!
bjs
Eva Maria