Voltar

Mudar ou não Mudar? Click Coaching

Hoje falamos sobre mudar ou não mudar de área e, se decidir mudar, qual o melhor caminho?

João, que mandou um e-mail para o Click Coaching, tem 32 anos, é formado em Comunicação (jornalismo) e está no último ano do curso de Psicologia. Uma segunda formação acadêmica que complementa e muito a primeira, independente da atividade profissional que escolha se dedicar. E é por aí que começamos nosso processo de reflexão.

As primeiras perguntas que sugiro que responda a si mesmo, são relacionadas à sua formação.

  • Como a formação de jornalismo enriquece a de psicologia e vice-versa?
  • O quê exatamente o moveu a cursar jornalismo?
  • O quê o levou a buscar essa segunda formação? Quais foram as suas motivações para iniciar esse curso?

Hoje ele trabalha como assessor de comunicação na área de saúde, portanto tem uma atividade profissional relacionada à sua primeira formação e tem, então, condições de avaliar o que isso significa para ele. Então, nosso segundo conjunto de perguntas incluiria:

  • Quais foram suas principais realizações ao longo do tempo em que vem atuando nessa atividade?
  • Que competências, você acredita que, foram necessárias para cada uma delas?
  • Há competências que você demonstrou repetidamente? Você poderia dizer que essas podem representar suas forças, aquilo que acredita fazer muito bem?
  • Quais são aquelas competências que, apesar de necessárias, você acredita não ter demonstrado na sua totalidade? Essas competências podem sugerir seus pontos de atenção ou de melhoria?

Uma mudança de área pressupõe uma busca de significado, de uma atividade profissional que trará maior satisfação pessoal e que está alinhada com aquilo que deseja construir, com o legado que quer deixar. Então é importante responder a si próprio como deseja estar no médio  e longo prazos, que construa a SUA visão de futuro. Assim, poderia apoiá-lo trazendo as seguintes questões:

  • O quê o motiva hoje na sua atividade? Ou então, o que o desmotiva?
  • O quê faz você levantar e ir para o trabalho com entusiasmo? Ou quais são seus motivos de insatisfação com o trabalho?
  • De que forma a atuação como assessor de comunicação apóia a SUA visão de futuro?
  • Usando o mesmo raciocínio, a atuação como psicólogo contribui de que forma para a realização dessa visão de futuro?
  • A possibilidade de atuar no mercado corporativo, quando comparada às duas perguntas anteriores, adiciona que diferenciais para a concretização desse futuro? O quê essa possibilidade poderia trazer em adição?

A questão da falta de experiência no mundo corporativo é apresentada pelo João como um possível problema para a realização dessa mudança, concordo que se ele tivesse experiência anterior poderia facilitar as coisas, mas aí não seria uma mudança certo? O importante é entender as dificuldades, mas não aceitá-las como desculpas para não promover uma mudança na sua carreira se, ao responder as perguntas  acima, você chegar a conclusão de que isso é o melhor para você.

Acredito que o João deva identificar algumas formas que podem compensar a falta de experiência que ele menciona com o mundo corporativo, sendo assim:

  • Você já mapeou as empresas que atuam no segmento que você trabalha hoje, ou seja, na área de saúde?
  • Já mapeou, também, os segmentos correlatos a esse?
  • Por estar no último ano do curso de psicologia, você já pensou no tema que abordará no trabalho final da faculdade? Ajudaria focar na psicologia organizacional?
  • Já elaborou sua lista de contatos? Quais são as pessoas que você poderia conversar, que podem aproximá-lo do universo das empresas?

Por último ele menciona a intenção de buscar formações adicionais, como Coaching ou uma pós-graduação em Psicologia Organizacional. Acho válido lembrar que uma mudança de carreira sempre demanda um grande investimento de tempo e energia. Talvez a realização de novos cursos possa ser postergada um pouquinho, dado que ele já tem uma boa formação acadêmica. Que tal deixar para depois que mudar de área e aí sim, realizar cursos que estejam diretamente ligados à nova área de atuação?

Espero que as perguntas apóiem a reflexão do João e de vocês que, neste momento, pensam em mudar de área. Não custa lembrar que as respostas e a decisão do que fazer só podem ser dadas por uma pessoa: você mesmo!

Aproveito para indicar a leitura do livro “Qual é a tua Obra?”, vai ajudar bastante na tomada de decisão. Mãos à obra!

Qual dessas afirmações mais se aproxima da transformação que deseja?

View Results

Carregando ... Carregando ...

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print