Voltar

Pedir Aumento? Sim!

Recebi um email solicitando minha opinião sobre pedir ou não um aumento salarial, quando a empresa não está atingindo seus resultados e resolvi publicar minha resposta no blog porque essa é uma questão que há tempos me perguntam.

Reproduzo abaixo, um trecho do email que recebi da pessoa que chamarei de Lucia e logo na seqüência o meu ponto de vista sobre o tema.

“Olá Claudia,

Tudo bem? Acompanho sempre que consigo o seu blog. Gosto do seu posicionamento e opinião. É parecido com o que eu acredito e espero da minha vida profissional. Por isso, resolvi utilizar esse meio para levantar um tema que eu trago comigo e queria entender a sua opinião.

Alguns profissionais de RH me dizem que quando se é bem visto na organizãção (um High Potential, por exemplo) e a organização vem apresentando um cenário de alta rotatividade é o momento ideal para negociarmos promoções e ou  investimentos em cursos. Mas, quando esse momento coincide com um resultado financeiro abaixo do esperado da organização, você acha que cabe uma solicitação?

Solicitar algo neste momento, pra mim é o mesmo que dizer: não estou preocupada se o resultado não está sendo atingido. Tenho meu timing de carreira e a organização tem o direito de me atender ou não – quase como uma visão de cliente. E se a organização não puder, procuro outra que me atenda.

Ao mesmo tempo, quando não solicito, fico com a sensação de que estou sendo parceira demais e que posso estar perdendo timing.

Agradeço o desabafo. Acredito que a geração Y sofra um pouco com estas questões.”

Prezada Lucia, 

Questões que envolvem aumento salarial e promoção são sempre críticas, mas são também para os gestores, acredite.

Em primeiro lugar, para pensar em solicitar um aumento salarial, acho válido uma autoavaliação da sua contribuição, seja sincera com você, pense se realmente sua contribuição vem sendo dentro ou acima do esperado. Você tem alcançado suas metas? Participou e entregou algum projeto especial que tenha trazido significativo impacto ou resultados? Como é o relacionamento com seu chefe? Há transparência e parceria? E com os colegas? Você consegue expor suas idéias? Você é percebida como alguém contributiva e comprometida?

Também vale uma análise do porque você acredita que merece ser promovida, aqui falamos de projeção do futuro. Além das questões apresentadas acima, o que você considera que pode agregar para essa nova posição? Você acredita que reúne boa parte das competências necessárias ou tem potencial para desenvolvê-las? Você compartilha dos valores e cultura da organização?

O melhor cenário, para empresa e funcionário, é que empresa e gestor se antecipem e comuniquem um aumento e/ou promoção como reconhecimento, diminuindo o risco de perda de um funcionário e evitando que ele busque outra proposta no mercado e comecem os famosos “leilões salariais”, mas se você realmente crê nos pontos acima e consegue defendê-los com argumentos consistentes que vão além do “eu acho que mereço”, “venho trabalhando muito”, ” fulano ou ciclano receberam aumento”, “já estou aqui há muito tempo” etc, Não há porque não se posicionar. Você deve sim conversar com seu gestor e expor sua situação.

Mas vale lembrar que, como você mesma escreveu, a empresa não “deve nada”, não tem  que conceder nada por obrigação, é verdade. Então pense na forma como vai abordar o assunto, se posicionar sim, mas jamais colocar seu chefe contra a parede. Procure estabelecer uma conversa, sincera e transparente, não um muro de lamentações.

O fato de uma empresa estar passando por situação financeira não muito favorável, realmente a impede de  implantar ações em massa, ou novos programas e benefícios. Mas não pode ser justificativa para você não se posicionar. Há nesse cenário uma boa oportunidade também, porque caso você realmente acredite que tem uma contribuição diferenciada, esse pode ser um bom argumento, mostrando que você estaria ainda mais motivada para seguir apoiando a empresa nesse processo de recuperação, dê sugestões, mostre apoio à empresa, se mostre necessária. Caso não seja mesmo possível conceder o aumento nesse momento, eles o farão assim que os resultados começarem a dar sinal de melhoras. Depois de um tempo, se eles não se anteciparem e comunicarem o aumento, você pode retomar a questão com seu chefe. 

Aproveite para pedir feedback e esteja pronta para ouvir o que vier, coisas boas e não tão boas assim. Escute, não se justifique, porque sempre temos algo a melhorar e o fato de seu chefe, eventualmente, focar em um ponto de melhoria não invalida o pedido de aumento se você atende positivamente a maioria dos pontos levantados no início desse texto. Ouça, concorde e mostre motivação para mudar esses pontos porque também a ajudarão a reforçar tudo aquilo que você tem como pontos fortes.

Sucesso e obrigada!

Claudia Klein

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print

1 Comentário