Voltar

Diferentes Estilos de Aprendizado

Saindo de Tarrytown e retornando a Nova York depois de uma semana de curso intensivo, estava exausta, porém, convencida de que acertei no investimento. Amei o curso, amei a experiência!


Poderia falar de vários aprendizados que tive, durante os seis dias que estive reunida com mais 25 pessoas, mas hoje escolhi escrever sobre os diferentes estilos de aprendizado.

Há diferentes assessments que buscam identificar o estilo de aprendizado preferido de cada um, mas, penso que ainda é uma ferramenta pouco procurada pelos profissionais e, que pode ser reveladora, na forma como buscamos a interação com o novo, com aquilo que ainda não sabemos, assim foi para mim.

Entender mais sobre como “prefiro aprender” servirá, para mim, como um guia na busca de quais serão as fontes e ferramentas que vou utilizar para adquirir conhecimento, me ajudou a entender e respeitar meu tempo e minhas reações diante das diferentes atividades a que somos expostos em um processo de treinamento.

Saber mais sobre como “prefiro aprender”, contribuiu para diminuir minha ansiedade e cobrança comigo mesma e para reduzir a expectativa e o julgamento que, muitas vezes, fazemos dos outros em um processo de aprendizado, simplesmente porque “preferem aprender” de uma forma diferente da nossa.

O ser humano é capaz de aprender sempre, independente da forma, mas cada um de nós tem um estilo preferido para a aprendizagem. Há aqueles que preferem aprender:

Experimentando: aprendendo com experiências específicas, nas relações com os outros e sensíveis aos sentimentos e às pessoas;

Fazendo: mostram habilidade em fazer as coisas, tomam riscos, saem na frente e influenciam pessoas e eventos em direção à ação;

Pensando: analisando as idéias logicamente, planejando sistematicamente e agindo depois de um entendimento intelectual da situação;

Refletindo: observando atentamente antes de julgar, analisando as situações sob diferentes perspectivas e buscando o significado das coisas.

Esses seis dias também serviram para me lembrar que, uma das maiores e melhores formas de aprendizado, ainda, está na observação e na interação com o outro, na diversidade cultural, social, acadêmica e nas diferentes experiências profissionais e pessoais que cada um carrega.

A foto abaixo, pode ser uma pequena demonstração disso, alunos de diferentes países, como: Índia, Inglaterra, Estados Unidos, França, Chile, Áustria, Turquia, Alemanha, México… Uma salada cultural diversa e cheia de riquezas. Aprendi muito com cada um, aprendi muito comigo mesma!


Seria muito bom que os profissionais tivessem maior consciência sobre seu estilo de aprendizado, a forma como “preferem aprender”, porque, assim, poderiam otimizar a busca e assimilação de diferentes conteúdos, complementando as atividades de aprendizagem oferecidas pelas empresas, com ações de reforço focadas no seu estilo. Profissionais com foco cada vez maior no auto-desenvolvimento.

Seria muito bom que as empresas pudessem propiciar aos profissionais acesso às ferramentas para mapeamento do seu estilo preferido e pudessem, também, diversificar mais a forma como “entregam” os diferentes treinamentos. As universidades corporativas e o ensino à distância são, sem dúvida, meios poderosos para fazer disso, cada vez mais uma realidade.

Há uma série de iniciativas que profissionais e empresas podem focar, otimizando e capitalizando a incrível experiência que é descobrir algo que ainda não sabemos e aplicar esse conhecimento.

Mas sabemos que, acima de processos e ferramentas, o mais importante ainda é aprender sempre, seguir se renovando, com curiosidade e atitude.

Até!

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print

2 Comentários

Legal que tenha identificado no texto o seu estilo de aprendizado. Particularmente, acho mto valioso nos conhecermos cada vez mais. Obrigada!