Voltar

Diversidade-Faltam 23 Dias!

Acordo na cidade de São Paulo e vou direto para uma reunião do Comitê de RH do WTC Business Club. Jorge Fornari, meu ex-chefe de alguns anos atrás e exemplo de pessoa que admiro, me convida. Presentes na reunião estavam cerca de 20 VP´s e Diretores de RH, e o objetivo naquela manhã era assistir à palestra de Heloisa Capelas, Diretora de Desenvolvimento Humano do Centro Hoffman. sobre “propósito”. Pois é, imaginem como aquelas quase duas horas se apresentaram diante de mim como um presente. Fantástico, uma oportunidade natural para ouvir e falar sobre propósitos, exatamente no momento que mais precisava me lembrar deles. Obrigada Fornari, obrigada Heloisa!

No início da noite me dirijo ao evento de apresentação da 9ª edição da pesquisa Empresa dos Sonhos dos Jovens, patrocinada pela Cia de Talentos, empresa do Grupo DMRH comandado pela Sofia Esteves. Essa pesquisa virou referência para mim, como parte de um dos desafios que estavam sob minha responsabilidade na empresa e, minha expectativa é grande para saber a nossa colocação nesse ano. Mas terei que esperar alguns dias, a noite é dedicada aos dez primeiros colocados e não estamos entre eles, ainda.

Durante a apresentação dos resultados da pesquisa, Sofia aborda as preferências dos jovens, pertencentes à, já muito famosa, Geração Y, os nascidos após os anos 80, quando o assunto é escolher uma empresa para trabalharem. Ela também compartilha as dificuldades de atração e retenção que as empresas têm enfrentado, por causa das diferenças e conflitos dessa geração com as gerações anteriores como a X, os nascidos aproximadamente entre 1965 e 1981, os BabyBoomers, nascidos logo após a 2ª Guerra Mundial, e os Veteranos, nascidos entre 1925 e 1945.

Muito tem se falado sobre a necessidade de preparar os executivos nas empresas para receberem os jovens da Geração Y, a geração internet. Encontramos hoje representantes das três gerações, Y, X e Veteranos, trabalhando juntos no mesmo ambiente e, mais, já podemos encontrar representantes dos Y gerindo X e BabyBoomers.

Tenho dúvidas se ao invês de falarmos em preparar os gestores para receber essa nova geração, deveríamos falar em preparar os gestores para administrar a diversidade, não só de gerações, mas de gênero, origem, religiosa, cultural etc. Lembro que no ano de 1996, a empresa que eu trabalha oferecia um treinamento para os gestores aprenderem a melhor se relacionar com os representantes da Geração X (eu era um deles…), que, naquela ocasião, chegavam ao mercado de trabalho e às posições de gestão.

Conflitos entre gerações sempre acontecerão, a cada nova geração que entra no mercado de trabalho, apesar de eu concordar que essa geração trouxe um conjunto grandioso de mudanças, no seu conteúdo e na velocidade em que ocorreram. Mas em tempos de globalização, concorrência e atuação sem fronteiras, me parece mais acertado e “perene”, falarmos de preparar para a diversidade.

Fecho a noite, na minha também cidade maravilhosa, com um belo jantar no restaurante Piselli. Na companhia das queridas amigas, Joseana e Sonia, durante o jantar relembro quais eram meus propósitos “naquela época” e, ao fazer uma espécie de inventário do que concretizei, fico feliz, realizada.

Agora, começo tudo de novo…de outra forma…com outro rítmo… mas com a mesma disposição, com mais experiência e com algumas rugas a mais (poucas!).

Até,

Compartilhe
FacebookTwitterLinkedInPinterestWhatsAppEmail
print

2 Comentários

Olá Sandra, ilustre visita! Obrigada pelo carinho, muito obrigada! Abcs, Claudia.